Mercados num minuto Abertura dos mercados: Mercados caminham para semana positiva. Juros sobem ligeiramente antes da S&P

Abertura dos mercados: Mercados caminham para semana positiva. Juros sobem ligeiramente antes da S&P

As bolsas, as divisas e o petróleo estão perto de registar um saldo positivo esta semana. Já os juros portugueses estão a subir ligeiramente no dia em que a Standard & Poor's pode pronunciar-se sobre o rating da República.
Abertura dos mercados: Mercados caminham para semana positiva. Juros sobem ligeiramente antes da S&P
Reuters
Tiago Varzim 14 de setembro de 2018 às 09:28
Os mercados em números
PSI-20 avança 0,11% para os 5.320,99 pontos
Stoxx 600 sobe 0,34% para os 377,81 pontos
Nikkei valorizou 1,2% para os 23.094,67 pontos 
"Yield" a 10 anos de Portugal sobe 0,6 pontos base para 1,87%
Euro sobe 0,23% para os 1,1717 dólares
Petróleo, em Londres, valoriza 0,56% para 78,62 dólares por barril

Stoxx 600 perto de semana positiva, após duas de quedas
As bolsas europeias estão a negociar em alta, depois de as bolsas asiáticas terem registado ganhos. Por exemplo, o Nikkei, em Tóquio, ganhou 1,2%. Em causa estão as expectativas de que os Estados Unidos e a China avancem para uma nova ronda de negociações que evite uma escalada na guerra comercial entre os dois países.

No entanto, Donald Trump fez saber que não se sente pressionado para fazer um acordo comercial com os chineses. Já Pequim dá conta esta sexta-feira de que não hesitará em retaliar as medidas norte-americanas, nomeadamente a entrada em vigor das tarifas sobre os 200 mil milhões de dólares em bens chineses que está na calha.

Na Europa, o Stoxx 600 está a subir com o contributo de todos os sectores, em particular o das matérias-primas, do automóvel e do tecnológico - influenciado pelo bom desempenho das tecnológicas norte-americanas. O índice que agrega as 600 principais cotadas europeias caminha assim para terminar a semana com uma valorização superior a 1%, depois de duas semanas de quedas significativas. O mesmo acontece com o PSI-20 que também deverá ter um saldo semanal positivo. As principais praças europeias seguem a negociar em alta.

Juros sobem ligeiramente antes da decisão de Standard & Poor's
O mercado secundário de dívida aguarda pela decisão da Standard & Poor's sobre o rating da República. A agência de rating tem a oportunidade para pronunciar-se hoje, um ano depois de ter retirado a dívida portuguesa da categoria de "lixo". Os juros portugueses a dez anos estão a subir 0,6 pontos base para os 1,87%.

Os juros alemães - que sobem 1,2 pontos base para os 0,435% - estão perto de um máximo de seis semanas depois do Banco Central Europeu ter decidido manter os juros inalterados. A procura por activos de refúgio, como é o caso das obrigações alemãs, diminuiu com a notícia de que os EUA e a China vão voltar a negociar e também com a decisão do Banco Central da Turquia de aumentar os juros para acalmar a lira e os mercados emergentes.

Euro em máximos de duas semanas
A divisa europeia está a subir há cinco sessões consecutivas, atingindo máximos de duas semanas depois da reunião de ontem do Banco Central Europeu. Mario Draghi reiterou que os juros vão continuar em mínimos até ao Verão do próximo ano e baixou as previsões de crescimento económico, mas fez questão de sublinhar que a retirada progressiva dos estímulos é diferente de tornar a política de financiamento na zona euro restritiva.

O euro está a valorizar 0,23% para os 1,1717 dólares e caminha assim para uma semana positiva. Para já a valorização semanal é de 1,42%. Já a lira turca continua a recuperar depois da subida dos juros do banco central ter levado a uma subida de 4,33% na sessão de ontem. A divisa turca sobe 0,21% para os 0,16479 dólares, um máximo de mais de duas semanas.

Furacão dá subida semanal ao petróleo
Esta semana tem sido dominada pela volatilidade da cotação do barril, em parte por causa do furacão Florence que já chegou aos Estados Unidos e ameaça as plataformas petrolíferas norte-americanas. Mas a preocupação do lado da oferta vem também do Irão, devido às sanções dos EUA, e também da Venezuela que está mergulhada numa crise económica.

Estes assuntos deverão marcar o encontro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo na próxima semana. A Agência Internacional de Energia já alertou que o preço do petróleo poderá ir além dos 80 dólares caso outros produtores não compensem a queda da oferta. Neste momento o brent, que serve de referência para as importações portuguesas, está a subir 0,56% para os 78,62 dólares. Já o WTI, negociado em Nova Iorque, valoriza 0,79% para os 69,13 dólares.

Platina em mínimos de quase uma década
A cotação do metal está a aproximar-se de mínimos de quase dez anos, mas as grandes produtoras não estão a cortar a produção, relata a Bloomberg. Ainda que se estime que cerca de metade da produção na África do Sul não seja lucrativa, são poucas as empresas que estão a cortar a produção de platina em montantes significativos. A boa notícia é que os custos de produção estão a baixar, o que torna as margens mais apetecíveis. Uma onça de platina está a 809,58 dólares.



pub