Obrigações DBRS "confortável" com o actual rating de Portugal

DBRS "confortável" com o actual rating de Portugal

Depois de ontem ter provocado uma subida generalizada dos juros portugueses, hoje a DBRS diz estar "confortável" com o rating de Portugal.
DBRS "confortável" com o actual rating de Portugal
Sara Antunes 17 de agosto de 2016 às 17:08

O "rating" de Portugal tem uma perspectiva "estável, o que é uma indicação clara de que estamos confortáveis com o actual nível" de notação financeira do país, afirmou à Bloomberg Fergus McComirck (na foto), responsável pela análise de ratings soberanos da DBRS.

 

Esta declaração foi feita esta quarta-feira, 17 de Agosto. Ontem, à Reuters, o mesmo responsável afirmou que "as pressões parecem aumentar", apesar do rating de Portugal continuar com uma perspectiva "estável". Estas palavras sugeriam que a DBRS pudesse estar a ponderar cortar o rating de Portugal. E este cenário seria preocupante, já que esta agência é a única que coloca o rating de Portugal num nível considerado aceitável pelo Banco Central Europeu (BCE) para comprar dívida.

 

"A inquietação que expressámos nos últimos dias decorre da acumulação de sinais que suscitam preocupação", afirmou o responsável à Bloomberg, justificando de alguma forma as palavras de ontem, que levaram a uma subida acentuada das taxas de juro de Portugal no mercado secundário. As declarações de hoje estão a atenuar as subidas, com a taxa de juro implícita na dívida a 10 anos a subir 3,3 pontos base para 2,872%, tendo chegado a transaccionar durante o dia nos 2,950%.

 

McComirck salientou hoje que o crescimento lento, a necessidade de mais austeridade e a vontade política para implementar reformas levaram a "um aumento de preocupações" sobre Portugal. O responsável sublinhou ainda que a avaliação da DBRS de Portugal "já é relativamente baixa", especialmente se comparada com países como a Espanha ou Itália.

 

A DBRS é a única das quatro agência de rating reconhecidas pelo BCE que não atribui um rating de "lixo" à dívida soberana de Portugal. Caso retire o país deste grau, o BCE deixa de poder comprar dívida soberana no âmbito do programa de compra de activos de 1,7 biliões de euros.

 

A DBRS tem uma notação financeira de "BBB" (baixo) [qualidade de crédito adequada, que é o último nível da categoria de investimento] para Portugal, e voltará a emitir uma nota em Outubro, altura em que vai rever a avaliação. Esta avaliação será publicada uma semana depois de o Governo português enviar para Bruxelas o plano orçamental para 2017 bem como um conjunto de medidas que permitam, nos próximos anos, manter de forma sustentável o défice orçamental abaixo do limite de 3% do PIB.




A sua opinião44
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado semcrer 17.08.2016

Falta de vergonha e manipulação de mercado!

No dia anterior à emissão de obrigações por parte do Estado Português 'ateia-se o fogo', no dia seguinte volta tudo à 'normalidade'!

Quem regula as agências de rating ???

comentários mais recentes
Malditos fascistas 18.08.2016

Processo já para cima destes gajos.

pertinaz 18.08.2016

A DBRS SÓ NOS TEM AJUDADO

O MESMO SE PODE DIZER DO BCE AO ACEITAR A DBRS COMO REFERÊNCIA

SE NÃO FOSSE A DBRS E O BCE JÁ TERÍAMOS PEDIDO OUTRO RESGATE

VAMOS A CAMINHO DO ABISMO

Mas esta gente anda a gozar? 18.08.2016

O Costa que meta estes parolos em Tribunal e que paguem o prejuizo da subida das taxas de juro. Processo judicial para cima destes atrasados mentais.

Anónimo 18.08.2016

Governo à parte, uma vez que não sou de esquerda nem de direita, para mim são todos iguais, isto é uma pouca vergonha. Estão a tentar a olhos vistos enterrar o país.
Só não vê quem não quer ou quem é tendencioso.

ver mais comentários
pub