Obrigações Investidores já pagam para comprar dívida japonesa a dez anos

Investidores já pagam para comprar dívida japonesa a dez anos

Pela primeira vez, os juros da dívida a dez anos de um país do G7 atingiram valores negativos. O Japão junta-se assim à Alemanha, com ambos os países a terem cerca de 70% da sua dívida com 'yields' abaixo de zero.
Rita Faria 09 de Fevereiro de 2016 às 09:35

Os investidores já estão dispostos a pagar para deter obrigações japonesas a dez anos. Esta terça-feira, 9 de Fevereiro, a ‘yield’ associada à dívida nipónica a dez anos atingiu, pela primeira vez, um valor negativo, algo sem precedentes numa economia do G7.

Menos de duas semanas depois de o governador do Banco do Japão, Haruhiko Kuroda, ter anunciado juros negativos, o país junta-se à Alemanha, com ambas as economias a terem cerca de 70% da sua dívida pública com ‘yields’ abaixo de zero.

Os juros das obrigações a dez anos (o prazo de referência) desceram 7 pontos base esta terça-feira para -0,025%, numa altura em que o iene está em máximos de Novembro de 2014 face ao dólar norte-americano.

"É simbólico", refere Masayuki Koguchi, gestor de activos da Mitsubishi UFJ Kokusai Asset Management, em declarações à Bloomberg. "Além de sentir que o mercado poderá ter ‘sobreaquecido’, não consigo ver nenhuma razão para vender. Os investidores especulativos estão a testar quão baixo os juros podem ir, por isso, é impossível ver onde será o limite".

A forte descida das ‘yields’ japonesas acontece numa altura em que os investidores estão a fugir dos mercados de acções e a refugiar-se em activos percepcionados como mais seguros, como é o caso do ouro, da dívida norte-americana, alemã e japonesa, por exemplo, e divisas como o iene. A "yield" dos títulos de dívida soberana aleamã está esta terça-feira abaixo dos 0,2%.

O regresso das preocupações em torno da evolução da economia mundial deu um arranque negativo às bolsas europeias e norte-americanas esta semana. O índice de referência para a Europa está novamente em queda depois de ter desvalorizado mais de 3,5% na sessão de ontem, enquanto os mercados dos Estados Unidos deslizaram para mínimos de 22 meses.

Esta terça-feira, os principias índices japoneses, o Topix e o Nikkei, afundaram mais de 5% na maior queda desde Agosto do ano passado. Ao mesmo tempo, o iene superou os 115 por dólar norte-americano pela primeira vez em mais de um ano. A divisa japonesa está no valor mais alto face ao dólar desde Novembro de 2014.

  




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 09.02.2016

As vezes interrugamo-nos:como foi possivel esta cancao ganhar o festival da eurovisao?Resposta simples:porque as outras nao eram mais bonitas.

pub
pub
pub
pub