Obrigações Portugal lidera queda dos juros na Zona Euro após acordo na Alemanha

Portugal lidera queda dos juros na Zona Euro após acordo na Alemanha

Os juros da dívida da generalidade dos países do euro estão a cair, beneficiando do acordo alcançado entre os conservadores e os sociais-democratas na Alemanha para a formação de governo. Portugal lidera as descidas.
Portugal lidera queda dos juros na Zona Euro após acordo na Alemanha
Mario Proenca/Bloomberg
Rita Faria 07 de fevereiro de 2018 às 13:12

Depois de três sessões consecutivas de agravamento, o acordo na Alemanha com vista à formação de governo trouxe algum alívio ao mercado de dívida na Zona Euro. Sobretudo em Portugal, que lidera o movimento de descida dos juros, com a yield a dez anos a registar o maior decréscimo do último mês.

 

Nesta altura, os juros da dívida soberana portuguesa a dez anos descem 6,9 pontos base para 1,991%, depois de terem chegado a recuar para 1,968%. Este é o maior alívio desde 8 de Janeiro, sessão em que as yields recuaram mais de 7 pontos.

 

Em Espanha, os juros caem 4,2 pontos para 1,384%, e em Itália 5,8 pontos para 1,931%, ligeiramente abaixo da taxa exigida pelos investidores para comprar dívida portuguesa no mercado secundário.

 

Na Alemanha, pelo contrário, a yield das obrigações a dez anos sobe 3,2 pontos para 0,724%, depois de ter atingido, no início da semana, o valor mais elevado desde Setembro de 2015.

 

Como os juros germânicos estão a subir e os portugueses a descer, também o risco da dívida nacional – medido pelo spread face à dívida alemã - está mais baixo, recuando 10,1 pontos para 126,7 pontos.

 

A justificar este alívio está não só a correcção das subidas recentes como o acordo alcançado entre os conservadores da CDU e CSU e o SPD na Alemanha, para a formação de governo.

 

Depois de meses de impasse, no seguimento das legislativas de Setembro, Angela Merkel e Martin Schulz chegaram a acordo para governar, com os sociais-democratas a conseguiram ficar com algumas pastas importantes, como as Finanças, os Negócios Estrangeiros e o Trabalho.

 

Apesar de o acordo firmado com o SPD ainda ter de ser aprovado pela base do partido, é mais um passo no sentido de colocar um ponto final na instabilidade política vivida na maior economia da Europa, e de pôr em marcha os planos de reforma na Zona Euro.




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

Os grandes especuladores já estão a ganhar nos títulos da dívida portuguesa. Quando começarem a despejar esses títulos o PS pede novamente um resgate para a República Portuguesa em situação de bancarrota.

o RPG vai SHORTAR a FALIDA pharol Há 1 semana

ponham -se a PAU com a FALIDA e INSOLVENTE pharol é o RPG e a turma dele do SHORTINHO que as tão a fazer subir á 2 dias para amanhã MAMAREM bom $$$$$$$ quando se juntarem todos para as fazerm descer o problema é que ninguém os ENGAVETA

General Ciresp Há 1 semana

Num grupo de 10 mulheres aquela q tiver a saia mais curta,vai ser inevitavelmente a mulher q vai chamar atencao dos homens.

o PAN ..... do RPG hoje nem CÁ APAREÇE Há 1 semana

o PANEL ...... do RPG anda a APANHAR do CHÃO os BOCADINHOS dos CORNOS dele que LHOS PARTIRAM NA TROMBA ele agora vai cola - los com cola UHU para amanhã ir MARRAR na PHAROL para baixo para ganhar para a COPOFONIA

ver mais comentários
pub