Obrigações Risco da dívida portuguesa no nível mais alto desde os tempos da troika

Risco da dívida portuguesa no nível mais alto desde os tempos da troika

Os juros da dívida portuguesa a 10 anos sobem mais de 12 pontos para superarem os 3,5% pela primeira vez desde Outubro de 2014. Já o 'spread' face à dívida alemã está no valor mais elevado desde Fevereiro desse ano.
Risco da dívida portuguesa no nível mais alto desde os tempos da troika
Rita Faria 09 de fevereiro de 2016 às 10:19

Os juros da dívida portuguesa estão em alta esta terça-feira, 9 de Fevereiro, em todas as maturidades, numa altura em que os investidores estão a afastar-se dos activos considerados mais arriscados.

A ‘yield’ associada às obrigações portuguesas a dez anos sobe 12,4 pontos base para 3,508%, o valor mais elevado desde Outubro de 2014. Nos títulos a cinco anos o agravamento é de 7,7 pontos base para 2,070%.

Além dos juros, também a percepção de risco da dívida portuguesa – medida pela comparação com a dívida alemã – está a subir esta terça-feira. 

Quer isto dizer que o prémio de risco que os investidores estão a exigir para comprar dívida portuguesa em detrimento da alemã (o chamado "spread") está mais alto. Situa-se nos 325 pontos, o valor mais alto desde Fevereiro de 2014, quando a troika ainda estava em Portugal.

A subida do spread explica-se pelo facto de os juros da dívida alemã estarem a aumentar muito menos do que os da dívida portuguesa. Enquanto em Portugal a ‘yield’ da dívida de referência sobe mais de 12 pontos base, na Alemanha o agravamento é de apenas 1,8 pontos para 0,236%.

Em Espanha, pelo contrário, os juros das obrigações a dez anos descem 0,6 pontos para 1,746%.

Esta evolução acontece numa altura em que os investidores estão a privilegiar activos mais seguros e a fugir dos mercados de acções e das obrigações de países considerados mais arriscados.

Prova disso é a forte descida da ‘yield’ das obrigações japonesas a dez anos que, pela primeira vez, caíram para valores negativos. Também o iene atingiu o valor mais alto face ao dólar desde Novembro de 2014.  

 


A sua opinião64
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Antunes 09.02.2016

grande antonio costa
grande bloco de esquerda
grande pcp
Costa quando tiver a chegar a barreira psicologica dos 7% vai pedir ajuda ao passos coelho para ele cortar a torto e a direito e a cegas novamente.
Costa quiseste o poder a força perdendo as eleições, agora já sabes os investidores internacionais estão sobre ti..

comentários mais recentes
Manuel O. Silva (Vilarinho) 10.02.2017

É de bradar aos Céus aquilo que esta a acontecer, Asneiras, em Cima de Asneiras enfim, um acumular de Trapalhadas e não há quem tenha Mão nisto, apelo a quem de Direito para que se accione os Mecanismos e por Termo a esta Bandalheira. Mais uma vez se está a Desperdiçar aquilo que se amealhou Basta

Judas Priest 09.02.2016

Ha Grande Costa. A caminho da grande e gloriosa bancarrota. Xuxxas forever.

Judas Priest 09.02.2016

Ha Grande Costa. A caminho da grande e gloriosa bancarrota. Xuxxas forever.

Anónimo 09.02.2016

Mas entao ainda a semana apareceu o estrangeiro acoriano (cesar tubarao)com uma radiografia apontada ao centro de direita no canil parlamentar sobre os juros da divida e agora prova-se o contrario.CABRAO gosta de refilar no pais que nao e dele.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub