A carregar o vídeo ...
CGD: Ministro das Finanças garante que “não há um vazio de poder” no banco público
18.01.2017
A fase de transição entre a saída de António Domingues da liderança da Caixa Geral de Depósitos (CGD) e a entrada em funções do próximo presidente, Paulo Macedo, não criou um vazio de poder no banco, considerou hoje Mário Centeno.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar