Mário Centeno: Regresso às 35 horas não significou aumento de despesas com pessoal
1
01.02.2017
O ministro das Finanças, Mário Centeno, afirmou hoje no parlamento que o regresso às 35 horas não levou a um aumento do custo de despesas com pessoal na administração pública em 2016.


A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
CF Há 3 semanas

Partindo do pressuposto que o Ministro não mente, há uma omissão evidente:os serviços pioraram pelo menos 13%. No outro dia para marcar uma consulta, num Hospital Publico(sem PPP,s), estive 30 minutos à espera, eu mais 15 pessoas. Há um ano, com as 40H, não esperava mais de 10 minutos, à mesma hora.