Miguel Baltazar/Negócios Miguel Baltazar/Negócios Miguel Baltazar/Negócios Miguel Baltazar/Negócios Miguel Baltazar/Negócios Miguel Baltazar/Negócios Miguel Baltazar/Negócios Miguel Baltazar/Negócios Miguel Baltazar/Negócios Miguel Baltazar/Negócios Miguel Baltazar/Negócios Miguel Baltazar/Negócios Miguel Baltazar/Negócios Miguel Baltazar/Negócios Miguel Baltazar/Negócios Miguel Baltazar/Negócios Miguel Baltazar/Negócios Miguel Baltazar/Negócios Miguel Baltazar/Negócios Miguel Baltazar/Negócios Miguel Baltazar/Negócios Miguel Baltazar/Negócios
Fotogalerias
O protesto dos trabalhadores da PT/Meo em imagens
21.07.2017
Várias centenas de trabalhadores e sindicalistas, com sonoros apitos, bandeiras e tarjas, estão hoje em greve e protestaram à porta da sede da operadora de telecomunicações PT/Meo, em Lisboa, contra a transferência de funcionários entre empresas do grupo, antes de seguirem em marcha de Picoas até São Bento.


A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
joseotto 24.07.2017

A vigarice ,a falta de escrúpulos na sua máx. expressão ,o desdém completo pelas condições de vida dos seus semelhantes ,a atitude dessa administração(?) constituída por indivíduos que me abstenho de classificar. Mas, o que mais me preocupa é o facto de verificar que o Snr. Presidente da República se mantenha sem emitir opinião sobre o assunto !Está doente com toda a certeza o que me inquieta sobremaneira!!!!!

Anónimo 21.07.2017

Se não travarem o uso fraudulento de uma lei, cujo espirito de aplicabilidade está a ser indevida e abusivamente subvertido pela ALTICE, então, que se acautelem os trabalhadores da EDP, CTT, GALP, TAP e outras empresas que tenham elevado número de trabalhadores.
Terão o mesmo problema que os da MEO

Anónimo 21.07.2017

Nacionalizem a empresa e ponto!

Lores 21.07.2017

Estes, se o negócio não se fizer, vão todos para o desemprego.