PME 2017 Um trabalho em prol das empresas

Um trabalho em prol das empresas

PME Investimentos dispõe de vários serviços financeiros para apoio e desenvolvimento do tecido empresarial.
Um trabalho em prol das empresas

A PME Investimentos (PMEI) é uma sociedade de investimento pública, criada em 1989, tutelada pelo Ministério da Economia e regulada pelo Banco de Portugal, tendo 1.100 milhões de euros de activos sob gestão e gerindo o maior fundo de fundos de dívida e capital (Finova) em Portugal, que apoia operadores financeiros como os bancos, dota o fundo público de contragarantia mútua e financia sociedades de capital de risco e "business angels", sendo estes os financiadores e investidores directos nas empresas.

 

Até agora, a PME Investimentos geriu 19 linhas de crédito com apoio público para financiamento das empresas através de parcerias com 22 bancos nacionais e com o sistema de garantia mútua financiou 21 fundos de capital de risco (através de parcerias com 12 "venture capital") e 55 veículos de "business angels". Gere ainda um fundo de "private equity", o FACCE, actualmente com 19 participadas que têm, no global, um volume de negócios de 460 milhões de euros e um Fundo de Sindicação de Capital de Risco com participações directas em empresas e num fundo de fundos gerido pelo Fundo Europeu de Investimento e investido em seis fundos de capital de risco nacionais.

 

Na área de crédito, as linhas lançadas permitiram injectar na economia cerca de 18 mil milhões de euros de financiamento e apoiar cerca de 80.000 empresas, que englobam cerca de um milhão de postos de trabalho, sendo a PMEI a entidade gestora da actual Linha de Crédito Capitalizar.

 

Na área de capital, já se apoiaram cerca de 400 empresas num total de 355 milhões de euros de investimento feito na economia e mais de seis mil empregos, tendo financiado a larga maioria dos fundos de capital que investem em PME e start-ups em Portugal e os três Fundos de Capital de Risco Revitalizar.

 

Assim, desde 1989 que a PME Investimentos contribui fortemente para combater o problema relacionado com a falha de mercado ligada ao elevado custo de financiamento para as empresas portuguesas comparado com a média da UE e à escassez de capital próprio no que respeita aos investimentos de capital.

 

Na fase crítica da crise, a PME Investimentos foi um dos suportes da economia nacional, através das várias linhas de crédito protocoladas lançadas e que permitiram ao sistema financeiro manter o apoio às empresas e aos fundos de capital implementados.

 

Mantendo esta missão, de desenvolver instrumentos e soluções financeiras de dívida e capital para beneficiar as empresas e a economia nacional, a PMEI tem neste momento disponível no mercado, em conjunto com os parceiros da garantia mútua e da banca, a Linha Capitalizar com 1.600 milhões de euros e que tem quatro soluções para as empresas: a solução para micro e pequenas empresas com 400M; a de fundo de maneio com 700M, a de tesouraria com 100M e a de investimento com 400M.

 

Estes produtos têm garantias a favor dos bancos entre 50 e 70%, spreads de taxa de juro mais reduzidos e bonificação das comissões de garantia.

 

Actualmente, a PME Investimentos, além da gestão das várias linhas de financiamento à economia e dos vários fundos de capital referidos acima, está envolvida na criação e operacionalização em Portugal de um novo fundo de fundos com instrumentos de dívida e capital para a área da inovação social no valor de cerca de 100 milhões de euros e ainda na génese de fundos de co-investimento para atrair para Portugal investidores estrangeiros em empresas tecnológicas.



Números:

1.100
milhões de euros de activos sob gestão tem a PME Investimentos.

 

18
mil milhões de financiamento foram injectados na economia na área de crédito.

 

355
milhões de euros apoiaram cerca de 400 empresas na área de capital.

 

1.600
milhões tem a Linha Capitalizar para beneficiar as empresas e a economia nacional.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub