Empresas Gazela 2018 Esforço para recrutar na região

Esforço para recrutar na região

Summer Camp I, S.A., responsável pela exploração do CampoReal Resort, dá o exemplo em Torres Vedras.
Esforço para recrutar na região

A Summer Camp I, S.A. é uma sociedade anónima de promoção e gestão de estabelecimentos turísticos. É responsável pela exploração do CampoReal Resort, que inclui o hotel Dolce CampoReal Lisboa, activo que faz parte do portefólio de propriedades geridas pela cadeia hoteleira americana Dolce Hotels & Resorts, entretanto adquirida em 2015 pela Wyndham Hotels & Resort. Um gigante hoteleiro com mais de 8.000 hotéis em todo o mundo.

 

Paula Duarte, directora-geral do hotel Dolce CampoReal Lisboa, explica que o que diferencia a Summer Camp I, S.A. da concorrência é fazer parte de uma estrutura internacional com uma escala "completamente diferente de todas as empresas da mesma área de negócio, existentes na região centro". Este facto permite ao Dolce CampoReal Lisboa ter as "ferramentas necessárias" para a prestação de um serviço de "excelência aliado a uma eficiente gestão financeira".

 

O Dolce CampoReal Lisboa, activo da Summer Camp I, S.A., tem 151 quartos e 40 apartamentos e villas para alojamento. Vinte e três salas de reunião, três restaurantes e dois bares, spa, campo de golfe e outros serviços desportivos e de lazer oferecidos através de parcerias com fornecedores locais. Todos os serviços podem ser usufruídos pelos hóspedes. Emprega "cerca de 100 colaboradores fixos e muitos mais de forma sazonal em épocas de maior ocupação ou volume de trabalho". Grande parte dos trabalhadores vive nos concelhos de Torres Vedras, Lourinhã e Caldas da Rainha.

 

Destaque-se as parcerias com as principais escolas e institutos politécnicos da região, que dão origem a dezenas de estagiários todos os anos, os quais são integrados nas áreas operacionais como restaurantes, cozinha ou "housekeeping", e em serviços mais centrais, como marketing, financeiro e comercial. "Temos feito um esforço adicional em prol do recrutamento na região, pois estamos convencidos de que essa é uma prática que beneficia todas as partes envolvidas", realça.

 

Região está de boa saúde

 

Para Paula Duarte, o facto de o centro ter tantas empresas distinguidas como gazela significa que a economia da região está de boa saúde. Por isso, haverá "menos desemprego, mais fundos disponíveis e mais movimentações económicas, beneficiando toda a cadeia de valor e o ciclo de investimento e inovação". Ser reconhecido como uma empresa gazela reflecte os "resultados positivos" alcançados nos últimos cinco anos, tendo-se trabalhado "cada segundo" para corresponder às expectativas iniciais.

 

O tecido económico da região, diz, está em "grande crescimento", faltando agora criar mais sinergias e não ter medo da concorrência para ter mais vitalidade. Na área do turismo, é essencial criar parcerias para promover o destino de forma mais consolidada. "Em Torres Vedras, já fazemos isso, por iniciativa da Câmara Municipal e por força das limitações do próprio destino. Temos consciência de que, estando tão perto de Lisboa, temos de nos unir para mostrar os pontos fortes desta região e assim atrair mais clientes", refere e prossegue: "Penso que será uma iniciativa a alargar a outros municípios, principalmente aos que estão fora das zonas turísticas mais conhecidas, ou, saindo da realidade turística e extrapolando para a empresarial, que estão fora do litoral, como são grande parte das empresas da região centro."



Dolce CampoReal Lisboa

151 quartos
40 apartamentos e villas
1 campo de golfe