Ensino Superior 2017 “É muito importante o gosto e a vocação”

“É muito importante o gosto e a vocação”

Maria Inês Domingues é a directora de Recursos Humanos & MKT da ITSector dá alguns conselhos na qualidade de empregador.
“É muito importante o gosto e a vocação”

Fundada em 2005, a ITSector é uma empresa de desenvolvimento de software. Emprega cerca de 350 pessoas, que, em 2016, foram responsáveis por duas centenas de projectos em duas dezenas de países.
 

Que "soft skills" mais valoriza no candidato?

Na ITSector valorizamos a capacidade de trabalhar em equipa, a proactividade, a iniciativa, o dinamismo, o companheirismo… As instituições de ensino têm de trabalhar estas questões cada vez mais para que os seus alunos se distingam no mercado de trabalho, "oferecendo" sempre às empresas as "soft skills" não como um "plus", mas como um requisito importantíssimo, para a saúde das equipas e das empresas.

 

Como é que o jovem pode potenciar a sua empregabilidade enquanto faz a licenciatura?

Há uma série de iniciativas que acreditamos terem impacto na formação das pessoas enquanto pessoas e enquanto profissionais, bem como as actividades sociais e desportivas que apresentam nas suas histórias de vida. Todas as experiências da nossa vida trazem aprendizagens, é preciso é reflectir sobre as mesmas, o que actualmente no mundo em que vivemos nem sempre paramos para pensar.

 

Pode dar exemplos?

A prática de desporto individual ou colectivo, habitualmente transporta para os candidatos competências como: disciplina, rigor, método, responsabilidade, trabalho em equipa, gestão de conflitos (no caso do desporto colectivo); a experiência do escutismo é outro exemplo de uma excelente iniciativa para desenvolvimento de "soft skills", o percurso político por exemplo para desenvolvimento de competências na área da comunicação, entre outras… No entanto, há formações e experiências que podem claramente complementar/potenciar a empregabilidade: línguas estrangeiras (a língua nativa e o inglês, acabam por ser no mercado de trabalho o básico, uma terceira língua é claramente uma mais valia que vai depender dos mercados em que as empresas atuam ou pretendem actuar no futuro); empreendedorismo, trabalhar muito bem a comunicação (verbal e não verbal).

 

Para trabalhar em TI, qual a formação mais adequada?

Para trabalhar no mundo das tecnologias, para além da formação académica é muito importante o gosto e a vocação. Para tal, procuramos pessoas com competências e conhecimentos na área de engenharia dos computadores, para que absorvam a base da tecnologia (…).
Valorizamos a formação de base em Engenharia, Matemática, não descurando os cursos técnicos profissionais e outras modalidades de ensino que têm surgido com uma formação mais prática desde cedo hands-on/saber fazer, sendo importante complementar estes conhecimentos posteriormente com uma formação de nível superior. Mas tal já é algo que depende das condições de vida das pessoas e das suas motivações e ambições também.




pub