Ensino Superior 2017 Quatro conselhos do recrutador

Quatro conselhos do recrutador

A gestora da única empresa de recrutamento na área do Direito em Portugal aponta algumas competências que o jovem licenciado tem de dominar para se tornar um profissional mais completo e bem-sucedido.
Quatro conselhos do recrutador
Filipa Mendes Pinto, consultora de recursos humanos e sócia da FIND

1. Comunicação. Numa era em que o acesso à informação é tão facilitado, a verdade é que há uma maior dificuldade de comunicação. Não porque não existam os meios - nunca existiram tantos e tão rápidos - mas porque a forma como são utilizados leva a que se assista a uma clara diminuição da capacidade de escrita a qual acaba por igualmente se reflectir na menor fluidez e qualidade da oralidade. Um profissional - em qualquer área, em qualquer função - necessita saber comunicar, transmitindo de forma clara e objectiva o seu conhecimento, as suas certezas mas também as suas dúvidas. Deve ter uma capacidade de análise crítica desenvolvida, acompanhada, simultaneamente, de pragmatismo e profundidade.

2. Mundividência. Neste âmbito, incluiria a necessidade de ser mantida muito actualizada a informação sobre temas de carácter económico, político, social e cultural a qual contribui para um olhar não apenas actual mas, acima de tudo, transversal a este mundo cada vez mais global. E este domínio da informação não passa apenas pela leitura. Passa também pelas vivências pessoais que sejam promovidas, nomeadamente através de viagens e de contacto com os outros, assegurando o reforço daquilo que comummente se denomina como "ter mundo". Se assim acontecer, desenvolverá sustentadamente competências a nível da negociação, da intermediação de conflitos e do relacionamento pessoal, por exemplo, que serão determinantes para o trilhar de um caminho de sucesso.

3. Gerir o tempo. Qualquer profissional hoje tem que evidenciar competências na gestão eficaz dos vários momentos da sua vida, para que consiga "rentabilizar" cada um deles de acordo com as exigências que lhe vão sendo colocadas. E mesmo as ferramentas que hoje são disponibilizadas a quem inicia a sua vida profissional só serão eficientes se forem geridas adequadamente.

Saber identificar e gerir prioridades é cada vez mais, uma competência a que todos devem estar muito atentos e ao qual deve ser dada efectiva importância. Por aqui igualmente se apura o método e organização no trabalho, bem como a capacidade de decisão na avaliação do que é, em cada momento, mais e menos importante. Um estudante que tenha sabido manter, paralelamente aos seus estudos bem-sucedidos, actividades de cariz desportivo, associativo e/ou profissional estará, obviamente, muito melhor apetrechado para enfrentar as exigências do mundo do trabalho.

4. Gestão de pessoas. É fundamental também em qualquer profissão que se decida abraçar. As pessoas serão sempre um elo determinante no caminho que se queira trilhar. Saber olhar, entender e comunicar com pessoas poderá ser o factor que faça a diferença para a realização pessoal e profissional de cada um.

E para que tudo o que acima se disse possa ser real, nada melhor do que a capacidade de cada um se olhar ao espelho e perceber onde estão os seus mais e quais as competências que precisa desenvolver. Porque é preciso nunca esquecer que as chamadas "soft skills" desenvolvem-se, incentivam-se e consolidam-se.