Gestão de Frotas 2017 Empresas com poucas regras na gestão de frotas

Empresas com poucas regras na gestão de frotas

Num estudo realizado pelo Corporate Vehicle Observatory cerca de 57% dos gestores revelaram que nas suas empresas não estão instituídas regras de gestão ou utilização das viaturas que compõem a frota. Cabe à direcção-geral o controlo das operações.
Empresas com poucas regras na gestão de frotas

As PME em Portugal têm em média sete viaturas nas suas frotas distribuídas entre ligeiros de passageiros, ligeiros de mercadorias e pesados, sendo que os modelos mais procurados são as viaturas comerciais ligeiras, as viaturas de segmento médio e os pequenos furgões. Este cenário foi construído com base nos resultados do estudo "Mobilidade nas PME Portuguesas: o que precisam as empresas para apoio ao seu negócio?", realizado pelo Corporate Vehicle Observatory, em colaboração com a consultora Nielsen Portugal, a pedido da ARVAL.

 

Com base nas respostas dos gestores inquiridos, o estudo conclui que 57% das empresas não têm regras de gestão ou utilização das suas viaturas, estando a tomada de decisões e a gestão da frota automóvel entregue ao topo da hierarquia das empresas, ou seja, na direcção-geral. Neste sentido, é possível concluir que 86% das empresas demonstram interesse pelas soluções de mobilidade para apoio ao seu negócio, mas esta necessidade parece esbarrar ainda em critérios de gestão pouco definidos quanto à tomada de decisão sobre um custo tão significativo para a estrutura da maioria das empresas deste segmento.

 

O estudo dá conta da falta de informação e esclarecimento das empresas sobre a oferta de soluções de mobilidade que sirvam as suas necessidades além do financiamento das viaturas. "Concluímos que as empresas devem procurar sair das suas zonas de conforto, ouvir e experimentar novas soluções que o mercado tenha para lhes oferecer e que as empresas especialistas em soluções de mobilidade devem também elas trabalhar mais na divulgação dos seus serviços e em aumentar a confiança dos gestores das PME na sua oferta de valor", destacam os mentores do estudo.

 

71% dos gestores ainda recorrem ao crédito.

17% das PME revelam que o motivo mais comum para aquisição de viaturas é a necessidade de aumentar a sua frota automóvel e a maioria admite ainda recorrer ao crédito e ao "leasing" para financiamento das suas frotas. 71% recorrem a crédito para compra de viaturas e consideram essa aquisição como um investimento para o negócio que tem de ser gerido pela empresa. Mais de 70% das empresas que utilizam "leasing" fazem contratos superiores a cinco anos, sendo que 49% dos gestores preferem pagar uma prestação mais baixa de financiamento sem considerar serviços.

 

Em 88% das PME, os custos com os serviços operacionais necessários ao funcionamento das viaturas são assumidos como responsabilidade da empresa. À pergunta como é feito o controlo de custos dos serviços operacionais, se estes não estão considerados no aluguer mensal, 61% das PME responderam que recorrem sempre à mesma oficina, sendo esta percentagem mais significativa a sul e no centro do país onde essa prática é validada por 74% e 69% das empresas, respectivamente. Em alternativa, uma média de 23% das organizações têm custos com uma pessoa que gere marcações com oficinas e condutores e em 17% deste universo de PME, esta gestão é feita pela direcção da empresa.

 

Falta de informação sobre modelos de financiamento

Por outro lado, 51% das empresas preferem rendas maiores que incluam serviços, no entanto, o estudo indicia que os gestores ainda estão pouco envolvidos com os modelos de aluguer operacional ("renting"), sendo que apenas 13% das PME admitem estar a utilizar esta opção de serviço para gerir as suas frotas.

 

A falta de informação parece ser uma razão para esta fraca penetração dos modelos de financiamento. Quando pensam em adquirir uma nova viatura, 65% dos gestores admitem iniciar o seu processo de aquisição por consulta a diferentes concessionários, sendo que 43% começam por contactar o banco. A pesquisa pela internet já chega a 39% destas empresas e 31% dizem iniciar o contacto com empresas de gestão de frotas.

 

Questionados sobre o conhecimento acerca dos diferentes tipos de financiamento automóvel, 90% deste universo conhece o financiamento por empréstimo/crédito junto do banco ou concessionário automóvel, e uma percentagem significativa de empresas (72%) conhece a compra a pronto pagamento e outra (69%) conhece o "leasing". Aqui notamos que apenas 53% das PME conhecem o "renting" ou aluguer operacional, sendo um facto que este desconhecimento parece ser ainda maior nos segmentos de micro e pequenas empresas e, geograficamente, que as empresas a norte e centro têm menos informação sobre o modelo de financiamento em aluguer operacional.

 

Embora o cenário não seja, para já, o mais eficiente, os resultados do estudo permitem antever a vontade de mudança, com os gestores a procurarem novas vias para alinhar a gestão das suas frotas com o negócio. As respostas obtidas são reveladoras de uma visível vontade ou necessidade de mudança, com 66% das PME a revelarem intenção de aumentar a segurança e os benefícios para os seus colaboradores. 64% das empresas querem baixar custos e 57% pretendem diminuir o tempo disponibilizado com a gestão da frota automóvel


70%
das empresas que utilizam "leasing" fazem contratos superiores a cinco anos.
 
49%
dos gestores preferem pagar uma prestação mais baixa de financiamento sem considerar serviços.

71%
recorrem a crédito para compra de viaturas e consideram essa aquisição como um investimento.

49%
dos gestores preferem o financiamento sem considerar serviços.

53%
das PME conhecem o "renting" ou aluguer operacional.

13%
das PME utilizam o "renting".




pub