MBA 2018 Católica Porto Business School aposta no Clube de Empresas

Católica Porto Business School aposta no Clube de Empresas

Católica Porto Business School sempre apostou na relação com empresas materializada em iniciativas e partilhas de experiência e conhecimento. Mas sentiu necessidade de reforçar mais a participação das empresas.
Católica Porto Business School aposta no Clube de Empresas

O contexto das empresas e das escolas de negócio alterou-se. Logo, os modelos de negócio entre as academias e as empresas ajustaram-se. Os tempos das empresas circunscritas a parceiros patrocinadores das escolas de negócio já se esgotaram, recorda Ana Côrte-Real, "associate dean" para a formação executiva da Católica Porto Business School, explicando que por esse motivo tem de haver mais partilha e maior aposta em projectos conjuntos e de desenvolvimento para ambas as partes.

 

"Neste sentido, e no âmbito da reformulação do MBA Executivo, criámos um Clube de Empresas que pretende formalizar e operacionalizar uma plataforma de interacção entre as empresas e a universidades, tendo em vista agilizar a transferência de conhecimento e de tecnologia, a formação e preparação de profissionais com competências adequadas às necessidades, e a programação e realização de estudos de investigação pertinentes." Em concreto, as empresas vão participar na "avaliação da adequação dos programas de formação de executivos, propondo alterações e melhorias ao portefólio, tendo em vista melhorar a sua adequação aos desafios da economia e, mais concretamente, às necessidades e exigências das empresas".

Estas empresas irão acolher propostas de projectos de investigação, visitas de estudo, iniciativas e desenvolvimento de casos de estudo para apoio ao ensino; continuarão a participar em seminários e a fomentar o encontro dos alunos com os seus CEOs /directores em dinâmicas que permitam uma efectiva partilha de percursos.

 

A par destas iniciativas como o Clube de empresas a criação de espaços de partilha e transferência de conhecimento são absolutamente fundamentais.

 

Na Católica Porto Business School, explica Ana Côrte-Real, esta transferência e aplicação de conhecimentos assenta no CEGEA e nos Labs: o CEGEA – Centro de Estudos em Gestão e Economia Aplicada, presta serviços de consultoria aplicada nas áreas da economia e da gestão. Este é um organismo de interface através do qual a escola coloca os seus recursos e competências ao serviço da comunidade, procurando conciliar a capacidade de investigação e a independência universitárias com a atenção ao cliente. Em relação aos Labs, criados desde 2013, a Católica Porto Business School School tem duas estruturas - o LEADLab e o SLab, centros de investigação aplicada nas áreas da liderança e da gestão dos serviços, respectivamente. Estes centros trabalham em parceria com as empresas e organizações no estudo de problemas únicos e no desenvolvimento de soluções inovadoras, reforçando a relação com as empresas.

 

Face ao exposto pode perceber-se que já se evolui muito na relação entre a academia e as empresas mas ainda há muito caminho a percorrer. E Ana Côrte-Real não deixa de apelar à consciencialização por parte das empresas que a aproximação da academia às empresas não se faz sem a sua abertura, disponibilidade e investimento de tempo.




pub