MBA 2018 No início da carreira

No início da carreira

Momento certo para se fazer um MBA é quando se está a começar - INDEG-ISCTE.
No início da carreira

"A experiência, nacional e internacional, diz-nos que é no início da carreira." É desta forma que Paulo Bento, presidente do INDEG-ISCTE e director do Executive MBA, responde quando indagado sobre qual é a altura indicada na vida laboral para se fazer um MBA.

 

Em relação ao Executive MBA, "faz sentido quando o participante já tem experiência(s) relevante(s)". "Esse ‘background’ permite um nível de partilha com os demais participantes e docentes que, no final do programa, resulta necessariamente num enriquecimento colectivo que, aplicado ou partilhado nas empresas de origem ou destino, contribui para o desenvolvimento das mesmas", assegura. O objectivo do Executive MBA é "desenvolver as competências dos participantes para que alcancem ou consolidem posições de liderança, em realidades cada vez mais exigentes e complexas".

 

Balanço positivo

 

Pedido um balanço das 14 edições do Executive MBA, Paulo Bento responde que "o ‘feedback’ de quem frequentou ou, nalguns casos, se cruzou com quem o frequentou é muito positivo". "O balanço permite-nos referir que estamos perante uma história de sucesso, de um programa distinto", afirma e prossegue: "A experiência exclusiva na Escola de Liderança dos Fuzileiros da Marinha, desde o seu início, e, mais recentemente, uma semana residencial e uma unidade curricular na melhor escola de negócios do mundo (HEC Paris) são exemplos de contributos para a ‘distintividade’, com uma implicação indirecta que é os candidatos ficarem expostos a um processo de selecção cada vez mais apertado, em especial nos últimos anos."

 

E quem são os destinatários deste MBA? Quem procura o Executive MBA do INDEG-ISCTE "tem como principal objectivo desenvolver competências na área da gestão que permitam alavancar o seu potencial, desenvolvendo posições de liderança, na organização ou grupo de proveniência ou num novo desafio, como acontece com frequência". "A maturidade dos participantes (média de 39 anos) e a experiência profissional relevante (média de 15 anos) marcam de forma singular os alunos de cada edição e influenciam fortemente as edições seguintes, a ponto de dois terços dos participantes serem recomendados pelos alumni."