MBA Oportunidades profissionais justificam o investimento
MBA

Oportunidades profissionais justificam o investimento

Fazer um MBA é dispendioso, mas potencia mais ganhos.
Oportunidades profissionais justificam o investimento

A questão é antiga e continua a colocar-se com frequência: quem tirou um MBA vai ser recompensado pelo forte investimento que fez? A discussão da mais-valia dos MBA está ser feita em todas as escolas, mas a Católica Porto Business School continua a dizer que "é uma formação relevante", e procurada por certos profissionais que ambicionam uma "determinada evolução na sua carreira". Acresce a esta questão da carreira, o papel das diferentes características dos MBA.

 

Ambos os programas "abrem um espaço de oportunidades para carreiras internacionais sem par", sobretudo pelo conhecimento que proporcionam aos alunos sobre "a influência da História, da cultura e da política sobre os negócios internacionais".

 

Ana Côrte-Real, "associate dean" da Católica Porto Business School, diz que o MBA Internacional tem como missão formar profissionais de gestão que, dando resposta às necessidades das empresas portuguesas, têm como referência a sua afirmação nos mercados internacionais. Estudos recentes evidenciam uma forte correlação entre a qualidade de gestão e o nível de desenvolvimento dos países. "Portugal não fica bem na fotografia. Quanto ao desenvolvimento já o sabíamos.

 

Quanto à gestão, tem-se ficado a saber", afirma a docente, prosseguindo: "A ambição deste MBA é a de dar um contributo para alterar esse estado de coisas ao propiciar, a um conjunto seleccionado de jovens quadros, uma formação de qualidade internacional."

Apesar desta ambição principal, Ana Côrte-Real assegura que o MBA Internacional não perde de vista outra prioridade: as PME do Norte e Centro, expostas à concorrência internacional, afinal duas realidades indissociáveis. São os problemas e os desafios dessas PME que a escola procura reflectir no curso que presta.

 

"O aumento da procura proveniente das grandes empresas revela, ainda, que o nosso produto é suficientemente multifacetado para também responder às necessidades dessas organizações de maior dimensão as quais aproveitam o programa também para estenderem a sua rede de contactos com gestores de PME, um aspecto crucial dos MBA. O tempo e, sobretudo, o acolhimento a quem completou o programa dizem-nos que quem o escolhe tem a garantia de ter feito um bom investimento. Na formação, como na gestão, a qualidade paga!", sublinha.

 

No que respeita ao MBA Atlântico torna-se apelativo para jovens profissionais em início de carreira e que querem "catapultar-se para posições de destaque em empresas com ambições e presença internacional". A associação com universidades em cada um dos blocos – a Católica no Porto, em Portugal, a Católica de Angola, em Luanda, e a PUC RIO, no Brasil – reforça o espírito de rede e de aprendizagem mútua.

 

Acelerador profissional

 

Fazer um MBA é dispendioso e exige um "esforço múltiplo", sendo que a perspectiva financeira é apenas uma de muitas dimensões que deve ser avaliada pelos candidatos, refere, por sua vez, Rita Marques, directora executiva da área de MBA e Executive Masters da Porto Business School, reconhecendo que um MBA reveste, de facto e ainda hoje, "um acelerador profissional". Existem outras experiências que podem ser entendidas como sucedâneas ao MBA mas, em boa verdade, "os participantes continuam a optar por programas de MBA de escolas de qualidade, como é o caso da Porto Business School, já que estes são aceleradores estruturados, potenciadores de maiores ganhos".


Números

100 alunos têm actualmente os programas de MBA da Porto Business School.

60 alunos candidataram-se ao The  Magellan MBA, da Porto Business School. A classe actual tem um pouco mais do que 35.

55 alunos de MBA forma, em média, a Católica Porto Business School por ano lectivo.




pub