Mestrados e Pós-graduações 2018 Organizações procuram cada vez mais profissionais com mestrado

Organizações procuram cada vez mais profissionais com mestrado

Empresas querem recrutar os candidatos que estejam mais preparados para o desafio do mercado de trabalho.
Organizações procuram cada vez mais profissionais com mestrado

Num mercado de trabalho cada vez mais dinâmico e competitivo, a redução da duração das licenciaturas de quatro ou cinco anos para três acaba por ser o reflexo da rapidez e do imediatismo que caracterizam a sociedade, explica Catarina Neves, "senior consultant" da Msearch (www.msearch.pt), prosseguindo: o actual "mestrado" tornou-se, praticamente, a "licenciatura" de há uns anos. Mudou o título e o investimento (financeiro) dos estudantes, no entanto, o interesse das empresas mantém-se: recrutar os candidatos que estejam mais preparados para o desafio profissional.

 

As organizações procuram, cada vez mais, profissionais que possuam mestrado, considerando que a licenciatura de hoje, que "antigamente" era o bacharelato de muitos cursos, pode ser insuficiente. Não só pela duração, como também pela preparação e potencial dos alunos. O exemplo desta realidade são os inúmeros programas de Trainees das empresas de maior expressão, multinacionais e nacionais, em que o grau académico é o primeiro requisito obrigatório para um candidato integrar o respectivo processo de recrutamento.

 

De forma geral, todos os sectores de actividade dão preferência a candidatos com mestrado, sendo vários os motivos que levam a esta tendência e que tornam este grau académico numa ferramenta de diferenciação para os (futuros) profissionais. Os mestrados são cada vez mais práticos e possibilitam, desde cedo, um contacto próximo com as empresas, através de projectos de consultoria, trabalhos de grupo em ambiente profissional e realização de "business cases". Esta proximidade às organizações proporciona aos alunos um maior contacto e compreensão da realidade empresarial, desenvolvendo "soft skills" (como espírito crítico e de equipa, capacidade de gestão de tempo...), "networking", visão estratégica e uma maior consciência das suas áreas de interesse.

 

 

Quando os profissionais são mais seniores – entre quatro a seis anos – esta tendência diminui, dado que a experiência passa a ter maior relevância e destaque. Nesta perspectiva, um mestrado, ou mesmo uma pós-graduação, é visto como um investimento financeiro que permite, em muitos casos, ter acesso a um número maior de oportunidades. Contudo, não deve ser considerado "o" requisito diferenciador para integrar o mercado de trabalho.