Reabilitação Urbana Reabilitação urbana não pode ser só uma actividade económica

Reabilitação urbana não pode ser só uma actividade económica

Schmitt+Sohn deixa o alerta numa área para a qual possui oferta.
Reabilitação urbana não pode ser só uma actividade económica

Com mais de 60 anos de actividade em Portugal, a Schmitt+Sohn conhece bem o que se tem feito a nível de reabilitação urbana no nosso território e pode falar com propriedade do tema.Miguel Franco, administrador da Schmitt+Sohn, explica que a reabilitação urbana em Portugal "ganhou maior expressão nos últimos cinco anos, sendo inicialmente vista uma oportunidade de conjuntura". Apesar de esse arranque se ter dado face à circunstância de um dado momento, hoje já é encarada como "uma acção com claros impactos na economia, urbanidade e tecido social das cidades portuguesas".

Para a Schmitt+Sohn, esta última perspectiva é também a sua visão. "A reabilitação urbana não pode ser só uma actividade económica ou fonte de negócio, como também, e principalmente, uma forma de reenergizar a cidade, quer em termos do seu tecido edificado, quer sobretudo do seu tecido social e turístico." E Miguel Franco acrescenta: "É uma acção multiplicadora de impacto positivo numa cidade e isso tem sido possível não com megaintervenções, mas sobretudo com projectos individuais, com investimentos de menor escala, o que comprova que, de facto, é um movimento, algo dinâmico, que tem sabido envolver proprietários, as famílias, as pequenas empresas e os empreendedores. Continua a ser mais expressivo em Lisboa e Porto, mas está cada vez mais presente nas outras cidades portuguesas."


Pese embora a recente reabilitação urbana, o parque edificado em Portugal continua "bastante envelhecido", ressalva o administrador da Schmitt+Sohn. Ou seja, muitos dos elevadores existentes estão desactualizados em termos técnicos, de segurança e conforto. "Estima-se que cerca de 50% dos elevadores instalados em Portugal tenham mais de 20 anos", conta. Por isso, é crucial fazer uma manutenção regular e competente dos equipamentos para prevenir a deterioração do equipamento e o valor do próprio imóvel.




"Estima-se que cerca de 50% dos elevadores instalados em Portugal tenham mais de 20 anos".



Questionado sobre que oferta possui a Schmitt+Sohn na área da reabilitação urbana, Miguel Franco responde que em termos de produtos e empresa produz o ISI 2040, ou o "elevador da reabilitação". Sendo um equipamento novo e que não é exclusivo de propostas de reabilitação, é muito utilizado nestes projectos devido às suas dimensões e especificidades, nomeadamente o facto de ser "um elevador eléctrico sem casa de máquinas, com arquitectura flexível e com elevada eficiência energética, além de ser facilmente adaptável a espaços de caixa reduzidos".

A instalação de elevadores em projectos de reabilitação ou a própria reabilitação de elevadores já existentes é apenas uma das vertentes da oferta da empresa para este segmento, ao qual responde com as soluções Reabilitar+.

"Este centro de competências disponibiliza um leque de serviços integrados e produtos focados neste segmento, permitindo acompanhar o cliente ao longo de todo o processo de instalação ou modernização de um elevador desde a fase de estudo, projecto, especialidades, adaptação de equipamentos, instalação e obra, manutenção e pós-venda", refere.




pub