Flama: Electrodomésticos de Cesar equipam cozinhas europeias

Grelhadores, máquinas de café, robôs de cozinha e jarro eléctricos são exportados pela Flama para mais de 25 países. A indústria localizada em Oliveira de Azeméis acaba de entrar em Espanha com a marca própria.
Flama: Electrodomésticos  de Cesar equipam cozinhas europeias
A exportação da Flama para fora da Península Ibérica vale metade do volume de negócios de 29 milhões de euros.
Inês Lourenço
António Larguesa 21 de dezembro de 2017 às 15:22
FLAMA Menção Honrosa Internacionalização - PME

Perto de meio milhão de electrodomésticos saem todos os anos da fábrica da Flama, empresa localizada em Cesar, no concelho de Oliveira de Azeméis, que exporta grelhadores, máquinas de café, robôs de cozinha e jarro eléctricos para mais de 25 países.

Estas são as quatro categorias de produtos em que está especializada e que vende para fora da Península Ibérica com a insígnia dos clientes, como a Rowenta, a Tefal ou a Philips. E é muito por influência desta última marca que a Holanda é um dos principais mercados, a par da Polónia, embora o peso deste país venha sobretudo da venda de componentes.

Na unidade industrial, que produz dez milhões de componentes todos os anos, são também fabricados produtos com a marca própria Flama, que este ano começaram a ultrapassar também a fronteira. Essa gama de electrodomésticos mais vasta, que abarca também micro-ondas ou aspiradores, já está em algumas cadeias de abrangência ibérica, como a Auchan, Worten ou Media Markt.


Philips, Tefal, Rowenta e Delta são algumas das marcas que confiam a produção de artigos à Flama.


"Vimos lá oportunidades para a nossa marca e, cada vez mais, a lógica dos clientes e das marcas é ibérica. Então, não fazia sentido estar em Portugal e não em Espanha", detalha a directora comercial, Liza Orioli. , detalhando que os mercados externos valem metade da facturação de 29 milhões de euros.

Por que são competitivos os produtos fabricados pela Flama, que emprega 310 pessoas? "Temos capacidade para industrializar, mas também no desenvolvimento técnico, em parceria com o cliente. Ter todas as etapas do processo integradas ajuda ao maior controlo da qualidade final", responde a gestora. A Flama é detida pelos irmãos Joaquim e Luís Miguel, filhos de António Alves, que criou a empresa em 1979 e, em menos de dez anos, tornou-a exportadora.