Jogo da bolsa, Bom jogo, boa sorte!

Artigo de João Queiroz, Director da banca online do Banco Carregosa
Jogo da bolsa, Bom jogo, boa sorte!
JOAQUIM NORTE DE SOUSA
Negócios 20 de novembro de 2017 às 11:04
A edição deste ano do Jogo da Bolsa incluía um desafio suplementar: os concorrentes deveriam ter uma carteira diversificada por, pelo menos, três classes de activos sendo obrigatória exposição a acções e ETF e a divisas. O nosso intuito foi, essencialmente, reduzir a probabilidade de estratégias direccionais, extremamente alavancadas, conseguirem, com elevada componente de sorte, arrecadar os prémios.

Tal regra obrigou os investidores-concorrentes ao exercício de se exporem a activos em que tradicionalmente não investem, ou que desconhecem, conseguindo-se assim realizar o objectivo do jogo que é o de aumentar a literacia financeira. Ter maior conhecimento destas matérias é útil para qualquer cidadão, mas mais ainda com as actuais taxas de juro em que é preciso encontrar alternativas para cada um gerir a sua poupança ou poder avaliar e criticar os serviços de investimento que lhes podem ser apresentados.

É interessante notar que a maioria parece conseguir lidar adequadamente com conceitos de alavancagem e risco, a par dos tradicionais produtos como acções e os fundos cotados em bolsas regulamentadas.

Entre os ativos e os instrumentos que cumprem o perfil de diversificação desenhado no regulamento e entre os concorrentes com melhores retornos de carteira, os que se expuseram à taxa variável - como os derivados de acções e aos respectivos índices - são os que estão a colher maior sucesso. Os "stock pickers" que escolheram títulos em stress também conseguiram capitalizar a conta.

Ainda temos quase duas semanas de jogo e tudo está em aberto pelo que é precoce para quem esteja bem posicionado começar a ficar mais defensivo tal como para os que acumulam um interessante retorno equacionarem a diversificação exigida para poderem ficar elegíveis (ver regulamento).

Alguns cenários podem ser ainda explorados como a gestão da percepção sobre a volatilidade, que registou um acréscimo; uma eventual correcção das acções; a preparação para transposição para o próximo ano depois de um exercício de 2017 com ganhos muito interessantes nas acções, sobretudo na periferia da Europa e na Alemanha; a recuperação da energia para máximos de dois anos, que não se sabe se é sustentável ou se vai regressar às anteriores cotações.

A ideia de que este Jogo também pode ser lúdico é relevante e pode e deve ser aproveitado para obter algum sentimento de gratificação por se conseguir posicionar numa lista de dois mil participantes ou de superação de objectivos pessoais, como por exemplo, conseguir conviver com um instrumento de extremo risco. Bom jogo, boa sorte!


JOGO DA BOLSA

30 de Outubro a 24 de Novembro

As classificações do Jogo da Bolsa 2017 são actualizadas diariamente. Em primeiro lugar, um Top é publicado no Negócios e às 14 horas a listagem total é publicada no Jornal de Negócios Online (www.negocios.pt). Para o efeito, todos os dias é retirada uma classificação provisória da Classificação Global, a Classificação Universitária e da Classificação Universo ISCTE Business School. Depois, todas as terças-feiras, é divulgado o vencedor semanal. Na primeira semana, o vencedor da classificação é quem ficar à frente na classificação global. Nas semanas seguintes, o vencedor da semana pode não corresponder ao líder do jogo. Saiba quais são os prémios desta edição do Jogo da Bolsa em http://jogodabolsa.negocios.xl.pt/classificacoes.html








A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar