Jogo da bolsa: Plano inclinado e a derrapagem no trading

Artigo de Marco António Oliveira, Administrador do Fórum Caldeirão de Bolsa
Jogo da bolsa: Plano inclinado e a derrapagem no trading
Negócios 17 de novembro de 2017 às 11:10
Perceber que negociar sem um plano minimamente delineado, conducente a um trading desorganizado como quem decide na hora e em cima do joelho, será um óptimo caminho para maus resultados onde o valor da carteira tende a diminuir após sucessões de trades é por certo um conceito simples de assimilar, se não mesmo de realizar por conta própria. Eventualmente já bem sentido na pele até. Os custos "escondidos" em comissões e spreads poderão bastar para ir delapidando ao capital ao que se soma o risco de rombos gigantes em trades mal medidos que acabam a correr mal.

No entanto, e especialmente nesta era da informação em que o acompanhamento contínuo das cotações é tão simples e acessível, incorrer em transacções pouco reflectidas em que o plano se destaca pela sua ausência ou manifesta deficiência, seja porque o investidor procura acção cedendo a um qualquer instinto jogador ou porque existe uma percepção de oportunidade que não se quer perder, é tremendamente fácil enquanto o investidor não se conseguir disciplinar.

Para além da disciplina, que se treina também, uma outra forma de combater tais tentações é simplesmente afastar-se do monitor e não seguir todos os pequenos movimentos das cotações. Se a preocupação é o risco a que o capital está exposto, pode sempre deixar movimentos automáticos como Stops, hoje disponíveis em praticamente qualquer plataforma. Se a preocupação é a perda de oportunidades, convença-se por um lado que jamais conseguirá apanhar todas as oportunidades e por outra que o objectivo não é maximizar o número de oportunidades mas tentar concentrar-se nas melhores.

Assim, para planear o trade deve começar por considerar o potencial ganho esperado (o cenário optimista) mas também prever mecanismos de saída caso o comportamento da cotação não corresponda às expectativas (o cenário pessimista) com uma avaliação da perda máxima admissível. Tenha em conta esta relação em que o primeiro deverá ser pelo menos da ordem de umas três vezes maior que a última.

Este exercício por si só, para além de melhorar as perspectivas a longo prazo, facilita a execução do plano pois não só uma relação assim favorável exige a uma taxa de acertos menor a longo prazo, coloca também o investidor numa posição psicologicamente mais confortável para fechar os trades que não estão a correr bem, uma vez que a pressão para ganhar em cada um dos trades individuais - o que não deve ser de resto o objectivo - é menor.

JOGO DA BOLSA

30 de Outubro a 24 de Novembro

As classificações do Jogo da Bolsa 2017 são actualizadas diariamente. Em primeiro lugar, um Top é publicado no Negócios e às 14 horas a listagem total é publicada no Jornal de Negócios Online (www.negocios.pt). Para o efeito, todos os dias é retirada uma classificação provisória da Classificação Global, a Classificação Universitária e da Classificação Universo ISCTE Business School. Depois, todas as terças-feiras, é divulgado o vencedor semanal. Na primeira semana, o vencedor da classificação é quem ficar à frente na classificação global. Nas semanas seguintes, o vencedor da semana pode não corresponder ao líder do jogo. Saiba quais são os prémios desta edição do Jogo da Bolsa em http://jogodabolsa.negocios.xl.pt/classificacoes.html








A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar