CCB: Máquina de eficiência cultural

O CCB produz espectáculos e recebe reuniões e conferências. Precisa de oferecer conforto de uma forma eficiente.
CCB: Máquina de eficiência cultural
David Martins
Filipe S. Fernandes 28 de dezembro de 2017 às 16:16
Menções Honrosas - "Qualidade de Energia" CCB - Centro Cultural de Belém

O Centro Cultural de Belém tem como principal actividade as artes do espectáculo, mas é também um centro para a realização de conferências e reuniões profissionais. Concluído em 1993 tem uma área total de 97 mil metros quadrados distribuídos por três módulos: centro de reuniões com 30.500 metros quadrados, centro de espectáculos com 22 mil metros quadrados e centro de exposições com 35 mil metros quadrados.

A construção deste complexo foi concluída em 1993 sendo que, para manter bons níveis de eficiência energética, os equipamentos e sistemas têm sofrido diversas alterações. Com o intuito de reduzir os consumos energéticos do edifício, foram também implementadas diversas medidas que, juntamente com o bom desempenho energético dos equipamentos instalados e uma gestão técnica, permitiram passar de um consumo de 5.050.822 kWh, verificado em 2014, para 4.371.446 kWh em 2016), o que equivale a uma economia de energia de 76.300 euros.

Os equipamentos de produção e distribuição de frio/quente estão instalados na central térmica do CCB, uma área concebida especificamente para prolongar a vida útil dos equipamentos, sem incidência de luz solar e com tubagens revestidas com isolamento térmico que minimiza as perdas de temperatura na distribuição do frio/quente produzido. Os chillers são responsáveis pela produção de frio que climatiza todo o edifício. Os quatro chillers instalados originalmente foram substituídos por três chillers da marca Carrier com a mesma potência energética. São equipamentos de alto rendimento e com alta eficiência energética do tipo água-água (arrefecidos a água).

Frio e climatização

Um dos chillers instalados possibilita a recuperação de calor, que consiste na utilização do quente gerado na produção do frio, trabalhando nos meses de temperatura amena, sendo que nos meses mais frios a produção de quente fica a cargo de três caldeiras. A produção de frio/quente é auxiliada por três torres de arrefecimento instaladas na cobertura do Centro de Reuniões que funcionam em circuito fechado.

O CCB tem 71 UTA's (unidades de tratamento de ar) responsáveis pela climatização das diferentes áreas do edifício. Recentemente foram instalados e configurados variadores de velocidade nas UTA's (que não o tinham incorporado de origem) que servem as áreas expositivas que, desde 2006, alberga o Museu Colecção Berardo. Esta medida permite optimizar o funcionamento destas unidades e obter uma maior eficiência energética dos equipamentos.