Metalogalva: A força do aço para chegar a mais de 40 países

A Metalogalva, com base na Trofa, apostou não só na exportação como na internacionalização. "Tudo é relevante para o sucesso dos negócios", aponta Sérgio Silva. Um negócio de família que se tornou um negócio do mundo.
Metalogalva: A força do aço para chegar a mais de 40 países
A Metalogalva, pertencente ao Vigent Group, exporta cerca de 75% da produção.
Inês Lourenço
Wilson Ledo 21 de dezembro de 2017 às 16:24
Metalogalva Prémio Exportação + Emprego

É preciso regressar a 1971 para conhecer o ponto de partida da Metalogalva, a fábrica da Trofa dedicada a estruturas metálicas. Foram os irmãos Adelino e Joaquim Silva a arrancar com o negócio naquela altura, com vontade de torná-lo grande.

Quarenta e cinco anos depois, em 2016, a empresa integrada no Vigent Group, facturou 77 milhões de euros. Este ano, o indicador deverá subir para os 86 milhões. E muito se deve à exportação, onde está a origem de mais de 75% do volume de facturação.

"Ao nível da exportação as operações incluem mais de 40 países da Europa, África e América", explica Sérgio Silva, presidente do conselho de administração da Metalogalva. A empresa decidiu não só exportar mas também internacionalizar. O primeiro passo foi em 2010.

Desde então, há operações distribuídas por 13 países, como Espanha, França, Polónia, Alemanha, Bélgica, Reino Unido, Senegal e Moçambique. "Ao longo deste período, a Metalogalva foi-se destacando a nível europeu, tornando-se num dos principais operadores europeus na produção de colunas de iluminação pública e de outras estruturas ligadas a áreas como a do transporte de energia, renováveis, telecomunicações, rodovias ou ferrovias", acrescenta o responsável.

Este prémio né muito importante para nós. Significa o reconhecimento da Metalogalva, a nível nacional, numa área tão específica como a de engenharia e protecção do aço. Sérgio Silva
Presidente do conselho de administração da Metalogalva

Agora, o esforço foi reconhecido com um Prémio Exportação e Internacionalização, iniciativa conjunta do Negócios e do Novo Banco, na categoria de Exportação+Emprego. "Este prémio é, sem dúvida, muito importante para nós. Significa o reconhecimento da Metalogalva, a nível nacional, numa área tão específica como a área da engenharia e protecção do aço", reage Sérgio Silva.

A Metalogalva promete que vai continuar "atenta" aos mercados externos, o que implica "avaliar novas oportunidades que possam ser relevantes". Realizar parcerias com agentes locais, reforçar o peso das exportações e comprar novas unidades são caminhos para concretizar esta vontade. "A internacionalização é algo que faz parte do nosso ADN. Todos os dias trabalhamos para sermos cada vez mais globais", remata o presidente do conselho de administração.

Para as empresas que se querem aventurar também no estrangeiro, a Metalogalva partilha a sua experiência. Sérgio Silva aponta que é, "acima de tudo, conhecer bem os mercados onde pretendem trabalhar". Tal implica estar a par dos potenciais obstáculos, as leis e hábitos culturais. "Tudo é relevante para o sucesso dos negócios", resume.





A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar