Noruega é o país europeu com mais carros eléctricos. Porquê?

Nils Rokke veio a Portugal contar como é que a Noruega se tornou no país europeu onde se vendem mais carros eléctricos na Europa. Apesar das preocupações ambientais dos noruegueses, os preços competitivos dos carros eléctricos pesam mais na hora de comprar.
Noruega é o país europeu com mais carros eléctricos. Porquê?
Inês Lourenço
André Cabrita-Mendes 12 de abril de 2017 às 11:29

Quem é Nils Rokke?

Nils Rokke é actualmente vice-presidente executivo para a área de sustentabilidade do centro de estudos norueguês SINTEF, o maior centro de investigação e desenvolvimento da Escandinávia. Doutorado em Engenharia Mecânica pela Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia (NTNU) em Trondheim, juntou-se ao SINTEF em 2004, assumindo então o cargo de vice-presidente para a tecnologia de gás, tendo também assumido responsabilidades para a área de alterações climáticas do centro de estudos entre 2008 e 2015.


Porquê o carro eléctrico?
Quando chega a hora de comprar carro e escolher entre veículo a combustão interna e um eléctrico muito noruegueses estão a optar pelo carro amigo do ambiente. Mas porquê? Um inquérito realizado em 2016 na Noruega entre os proprietários de carro eléctrico não deixa espaço para dúvidas: 67% dos inquiridos aponta que as razões económicas são a principal razão para comprar um veículo eléctrico, revelou o investigador Nils Rokke na sua apresentação. Na segunda posição surgem as razões ambientais com 21% de respostas positivas.

Que incentivos é que existem?
As políticas de incentivo à compra de veículos com baixas emissões teve lugar no início da década de 90, explicou o investigador e vice-presidente executivo para a área de sustentabilidade do centro de estudos norueguês SINTEF. Em 1993, estes veículos deixaram de pagar pelo estacionamento público. Depois, foram eliminadas as portagens. Mais tarde, foi eliminado o pagamento de IVA, isto é, a compra de carros eléctricos deixou de ser tributada por completo em 2001. Em 2005, o imposto de circulação foi reduzido para zero. Outros incentivos, incluem a abertura das faixas bus para estes veículos, assim como o fim dos pagamentos nos ferries. Em 2009, o fim dos incentivos foi atirado para 2017, mas em 2015 o Parlamento norueguês estendeu os incentivos até 2020.


150
Eléctricos e híbridos
Na Noruega existem actualmente 150 mil carros eléctricos e híbridos plug-in.


Electricidade é barata
Conforme sublinhou Nils Rokke na sua apresentação, a electricidade em casa na Noruega é barata, sendo por isso competitivo abastecer o carro eléctrico na habitação. A grande maioria da electricidade (99%) é gerada a partir de fontes renováveis (97% a partir de energia hídrica e 2% a partir de energia eólica).

Carros "normais" são muito caros
Outro dos incentivos à compra de carro eléctrico é que os carros movidos a gasóleo ou a gasolina são muito caros. Na sua apresentação, Nils Rokke explicou que os carros são taxados de acordo com o seu peso, emissões e estão sujeitos a uma taxa de IVA de 25%. Comparando com a Alemanha, por exemplo, os carros podem custar o dobro do preço, dependendo da sua classe. Como os carros eléctricos não têm impostos, tornaram-se competitivos face aos carros movidos a combustão interna. Um Volkswagen Golf eléctrico, por exemplo, é ligeiramente mais barato do que o seu irmão movido a gasóleo ou gasolina. Já o Nissan Leaf, por seu turno, é um carro "low cost", de acordo com os padrões noruegueses, com o preço a rondar os 25 mil euros.

Líder de vendas
A nação escandinava liderou as vendas de carros eléctricos em 2015 e 2016 na Europa. Actualmente 40% das vendas de carros novos no país são de eléctricos, híbridos plug-in ou movidos a hidrogénio. Olhando para o parque automóvel total de carros de passageiros de 2,6 milhões de veículos, 3,75% são carros eléctricos, enquanto 1,4% são veículos híbridos plug-in. Para o futuro, Nils Rokke prevê um crescimento dos carros autónomos.





A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

é um país com muito sol todo o ano, e muita água

Palonço Há 1 semana

Ou então que todos os jericos anónimos emigrassem para a Noruega.

Anónimo Há 1 semana

Se desse para fazer outsourcing do governo em Portugal...
Outra hipótese era declarar guerra à Noruega e rendermo-nos no dia seguinte. Pode ser que tomassem conta disto...

pub
pub
pub