Poupar energia através do smartphone

A aplicação EDP Re:dy, que permite monitorizar o consumo de energia a qualquer hora e a partir de qualquer lugar, começou a ser desenvolvida em 2010. Hoje, conta com 8 mil utilizadores.
Poupar energia através do smartphone
Nuno Martins Coimbra, responsável pela gestão de projectos da EDP, sublinha que o EDP Re:dy é um produto "totalmente desenvolvido em Portugal".
Pedro Elias
Sara Ribeiro 19 de outubro de 2017 às 11:07
Controlar o consumo de energia através do telemóvel ou ligar e desligar equipamentos a partir de qualquer lugar são algumas das funcionalidades do serviço EDP Re:dy. A aplicação foi lançada em 2014, mas os passos para o seu desenvolvimento começaram a ser dados alguns anos antes.

A ideia para criar esta solução, que ganhou o prémio de Best Digital Transformation Project, atribuído pela Axians no âmbito dos Portugal Digital Awards, surgiu para "fazer face a um contexto de mercado altamente exigente", explicou Nuno Coimbra Martins, projects manager" da energética. Um cenário justificado pela "crescente liberalização dos mercados energéticos, pela instabilidade dos preços das matérias-primas directamente relacionadas com o sector e pelo impacto ambiental provocado pela satisfação da procura de energia".


8.000
Clientes
A aplicação EDP Re:dy, lançada em Fevereiro de 2014, conta actualmente com mais de 8 mil utilizadores.


Motivos que têm levado a EDP a "apostar no desenvolvimento de produtos e serviços integrados, desenhados especificamente para melhorar a qualidade do serviço prestado e para dar resposta às necessidades de um consumidor final cada vez mais exigente", explicou o responsável.

Uma ambição que começou a ganhar contornos práticos em 2009, data em que "a EDP Comercial definiu como prioridade dispor de ferramentas que disponibilizassem informação de consumos aos seus clientes e permitissem novos modelos de relacionamento. No entanto, à medida que a EDP ganhou experiência na utilização destes sistemas apercebeu-se que não existiam soluções que cumprissem os objectivos definidos. No final de 2010, face à inexistência de uma oferta no mercado que cumprisse os objectivos da EDP, foi tomada a decisão de desenvolver uma solução própria", revelou Nuno Coimba Martins.

Temos recebido feedback bastante positivo de clientes que gostam de saber quanto estão a poupar com a energia solar. Nuno Coimbra Martins
Projects manager

O lançamento do EDP Re:dy começava, assim, a ganhar vida. Nesse mesmo ano, em 2010, "foram instalados sistemas de teste usando hardware de mercado e começou a ser desenvolvida a arquitectura do EDP Re:dy", relembrou o responsável.

Passado um ano, foi preparado o primeiro piloto da aplicação, e no início de 2012 a EDP lançou uma consulta internacional para a concepção e fabrico, à qual responderam empresas especialistas dos EUA, China e Índia, Europa e também Portugal. "Uma vez mais, as respostas obtidas foram insuficientes para os objectivos a que a EDP se propunha, pelo que foi decidido gerir ela mesma o desenvolvimento e contratar empresas portuguesas para diferentes fases do trabalho", contou o responsável.

Em Fevereiro de 2014 foi iniciada a comercialização do serviço. Desde então, mais de 8 mil clientes aderiam à aplicação .

O "feedback" por parte dos consumidores tem sido "bastante positivo", garante Nuno Coimbra Martins, detalhando que muitos clientes "gostam de saber quanto estão a poupar com a energia solar".

Da ideia à concretização

A aplicação EDP Re:dy disponibiliza informação sobre o consumo de energia a partir de um smartphone ou computador. E permite o controlo remoto dos equipamentos eléctricos.

O desafio
Para fazer face a um contexto de mercado exigente e às novas necessidades dos consumidores, a EDP decidiu estabelecer como prioridade o desenvolvimento de ferramentas que permitissem novos modelos de relacionamento com os clientes. A aplicação EDP Re:dy foi uma das soluções encontradas para cumprir os novos desafios.

A concepção
A solução EDP Re:dy foi desenvolvida em 2012 e 2013, tendo ficado pronta para testes em Setembro de 2013. Em Fevereiro de 2014 a energética iniciou a comercialização do serviço que implica o pagamento de uma mensalidade cujo valor depende do plano escolhido por cada cliente.

A implementação
A equipa de desenvolvimento da EDP Redy está centrada na EDP Comercial, com a colaboração directa da EDP Inovação. Ao longo dos anos, desde o primeiro passo até ao lançamento, em Fevereiro de 2014, a equipa foi crescendo, contando agora com 10 pessoas da EDP, mas também com a colaboração de um conjunto de parceiros externos.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 18 horas

Ta certo.

O que poupar em energia vou gastar na mensalidade do serviço.

Existe software gratis e Hardware muito mais barato que faz precisamento o mesmo.