Prémio revelação: Hóspedes mais satisfeitos em 1.100 hotéis

A Nonius esteve focada na internacionalização desde o primeiro minuto. Criada em 2005, a companhia exporta actualmente para 32 países em quatro continentes. Prepara-se para abrir escritórios nos EUA e na Ásia.
Prémio revelação: Hóspedes mais satisfeitos em 1.100 hotéis
Pedro Elias
André Cabrita-Mendes 03 de janeiro de 2017 às 12:14
Tornar a estadia mais agradável aos hóspedes de hotéis. É esta a missão da portuguesa Nonius.

A Nonius foi criada em 2005 e avançou para a expansão internacional em 2011. Desde a sua criação que a Nonius sempre esteve focada na internacionalização. A companhia dedicou-se a desenvolver soluções para dois sectores cruciais para a economia mundial, o turismo e a hoteleira.

A companhia disponibiliza soluções tecnológicas que permitem aos operadores hoteleiros oferecerem aos seus hóspedes serviços digitais de última geração, como comunicações de voz e internet.

A tecnológica portuguesa conta com uma carteira de mais de 1.100 hotéis clientes com mais de 150 mil quartos de hotel espalhados pela Europa, Américas, África e Médio Oriente.

Actualmente, conta com presença física em três países. Em 2011, avançou para o Brasil, depois em 2014 entrou na Holanda com a aquisição de uma companhia local, e já este ano chegou ao México.

Algumas das maiores cadeias internacionais de hotéis contam com tecnologia da Nonius nos seus quartos, como a Accor, Meliá, Starwood, ou as portuguesas Pestana, Tivoli e Altis.

Dos 12 países para onde exportou em 2010, a Nonius atingiu os 32 países em 2015, com os produtos e tecnologias que desenvolve a estarem espalhados pela América do Norte e do Sul, Europa, África e Ásia em países como Angola, Brasil, França, Alemanha, Holanda, Nigéria, México, África do Sul, Reino Unido ou Estados Unidos da América.

Em 2015 registou um volume de negócios de sete milhões de euros, com a Holanda a ser responsável por mais de um quarto da facturação.

A empresa liderada por António Silva contava em 2015 com um total de 67 trabalhadores.

A companhia já delineou um plano estratégico para os próximos três anos. E tem cinco milhões de euros para aquisições, investigação e desenvolvimento e também para abrir novas subsidiárias.

Neste âmbito, a Nonius vai abrir escritórios no início de 2017 nos Estados Unidos e na Ásia, como forma de dar resposta à evolução da actividade nestes mercados.






A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar