Trazer turistas também é um modo de exportar

Três em cada quatro turistas em Portugal vêm de fora. O sector está em crescimento e deseja continuar a diversificar os mercados alcançados.
Trazer turistas também é um modo de exportar
Turismo tem estratégia definida para a próxima década.
Inês Lourenço
Wilson Ledo 21 de dezembro de 2017 às 16:38
Turismo de Portugal Prémio Especial do Júri

Os números falam po r si: o turismo é a maior actividade exportadora de Portugal. É responsável por 48,3% das exportações de serviços e 16,7% das exportações totais.

Valores que não se conseguiam sem a actuação do Turismo de Portugal. O instituto público tem procurado uma "qualificação e inovação da oferta turística" com sistemas de incentivos e linhas de financiamento para as empresas do sector.

Há metas definidas já para a próxima década na Estratégia Turismo 2027. Uma delas passa por "duplicar as receitas turísticas dos 12,7 mil milhões de euros registados em 2016 para 26 mil milhões em 2027", recorda o organismo liderado por Luís Araújo.

O esforço de impulsionar a vinda de estrangeiros - são três em cada quatro turistas em Portugal - foi agora reconhecida pelo júri dos Prémios Exportação e Internacionalização.

"Este prémio é o reconhecimentoda importância do turismo para a economia nacional e de que estamos no bom caminho para atingir os objectivos que nos propusemos quando delineámos a Estratégia Turismo 2027", reage a instituição.

O objectivo agora é posicionar o turismo como um "hub" para o desenvolvimento de Portugal em várias áreas. Para tal, muito vão contribuir as campanhas de promoção desenvolvidas nos mercados externos. São cada vez mais as geografias da aposta, com foco, nesta fase, nos Estados Unidos da América e China.

Também a imprensa estrangeira tem contribuído para este cenário, com visitas a Portugal. Depois, dão a conhecer o país nos seus artigos. Em 2017 foram já mais de 15 mil notícias.





A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.