Como escolher um seguro de saúde

Como todos os acordos, o seguro de saúde tem um conjunto variado de condições que não deve ignorar quando assinar.
Como escolher um seguro de saúde
Raquel Godinho 31 de outubro de 2013 às 00:13

Ainda que se refira a um âmbito sensível como a saúde, o seguro é um contrato. O consumidor compromete-se a pagar um prémio e, em troca, a seguradora fará face a despesas que venham a ocorrer em situações de doença ou acidente. A oferta de seguros de saúde é variada e também as características de cada produto são muito diferentes. Escolha aquele que melhor se adequa às suas necessidades e também ao seu bolso.

Há muitos cuidados que deve ter antes da contratação do seguro e também durante a vigência do contrato. Dê atenção a todas as características, nomeadamente as coberturas, exclusões, franquias e períodos de carência. Deve optar pelo produto que melhor satisfaz as suas necessidades, não esquecendo o prémio que está disposto a pagar. Tipicamente, a cobertura base dos seguros de saúde comercializados em Portugal diz respeito a internamento hospitalar e ambulatório, ou consultas de especialidade. Além destas, há um conjunto de coberturas complementares. A medicina dentária é uma das especialidades mais procuradas, mas pode não justificar a opção por um seguro com um maior número de coberturas.

"Nunca devo escolher um seguro de saúde em função destas coberturas complementares. Fica mais barato subscrever um seguro com a cobertura base e também um seguro dentário", defende Mónica Dias, economista da Deco.

Tão importantes como as coberturas são as exclusões. Isto porque, muitas vezes, não estão abrangidas pelos seguros doenças existentes à data da subscrição, despesas com acidentes e doenças profissionais, tratamentos psicológicos, despesas resultantes de actos intencionais, entre outras. Deve confirmar se não apresenta nenhuma das exclusões mencionadas no contrato, até porque algumas situações podem ser contratadas através do pagamento de um prémio adicional.

Há características dos seguros de saúde que não podem ser ignoradas. O segurado apenas pode activar as coberturas após o período de carência que, na prática, é o adiamento do início do seguro. Normalmente, é de 90 dias, expecto para o parto, que varia entre 365 e 540 dias.

Deve ter em consideração que "não existem seguros de saúde vitalícios, mas há alguns que erradamente transmitem essa ideia", alerta Mónica Dias. Alguns produtos mencionam que têm como idade limite de permanência a faixa entre os 60 e os 65 anos. Outros há que não impõem essa idade de permanência. Contudo, "os seguros de saúde são anuais e nada impede a seguradora de, no final da anuidade, recusar a renovação do contrato", acrescenta a especialista da Deco.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
Saber mais e Alertas
pub