Grupo Pestana a caminho dos 100 hotéis

É o maior grupo hoteleiro multinacional de origem portuguesa. Detém e gere 90 hotéis, totalizando mais de 11.800 quartos em 15 países e 4 continentes. Com 1,1 mil milhões de euros em activos, irá ultrapassar a fasquia dos 100 hotéis até 2018.
Grupo Pestana a caminho dos 100 hotéis
Dionísio Pestana lidera desde 2013 a Pestana International Holdings, a holding de topo do grupo.
Alexandre Azevedo/Sábado
Filipe S. Fernandes 26 de maio de 2017 às 15:14
O ano de 2016 foi o melhor ano para o Grupo Pestana com um volume de negócios de 360 milhões de euros. Os dados relativos a 2017 apontam para um crescimento de 10% revelou recentemente José Theotónio, CEO do Grupo Pestana, sendo o peso dos negócios do turismo no valor global superior a 90%.

Trata-se de um reflexo do boom do turismo em Portugal, mas quem está a ganhar mais com este fenómeno são as empresas tecnológicas como a Google, a Booking, que se apropriam de parte do valor do negócio turístico. Como referia recentemente José Theotónio, CEO do Grupo Pestana, "tem de se conseguir ter uma relação com o cliente final, para isso tem de se trabalhar a marca, a distribuição, os sistemas, a customização e a fidelização de clientes para ter uma base que depois nos assegure alguma independência". O que implica dimensão para fazer face aos investimentos exigidos pela distribuição tanto em sistemas, como em centros de competência. E neste aspecto a dimensão internacional do Grupo Pestana ajuda.

Dimensão e inovação

Hoje o Pestana Hotel Group é o maior grupo hoteleiro multinacional de origem portuguesa, com 7 mil colaboradores em todo o mundo. Detém e gere 90 Hotéis, totalizando mais de 11.800 quartos em 15 países e 4 continentes. Com 1,1 mil milhões de euros em activos, irá ultrapassar a fasquia dos 100 hotéis até 2018. Detém ainda 12 empreendimentos de Vacation Club, seis campos de golfe, três empreendimentos imobiliário/ turístico (Baía no Brasil, Tróia e São Tome) e duas concessões de jogo para casino (Madeira e S. Tomé e Príncipe).


90
Número de hotéis

11.800
Número de quartos

360
Volume de negócios
Em 2016 o volume de negócios foi de cerca de 360 milhões de euros, dos quais 80% feito nos mercados emissores internacionais e 20% no mercado doméstico; 75% nos hotéis em Portugal; 25% hotéis internacionais.


Recentemente o Grupo Pestana fez uma parceria com Cristiano Ronaldo para o lançamento da cadeia CR7 em que os hotéis, dois a funcionar no Funchal e Lisboa e próximas aberturas em Madrid e Nova Iorque, são detidos equitativamente por empresas de Cristiano Ronaldo e Dionísio Pestana, único accionista do Grupo Pestana. Pela gestão o Grupo Pestana um fee e o uso da marca CR7 implica um fee a Cristiano Ronaldo. Esta nova marca, que pode dar um maior impulso internacional ao grupo, surge para o segmento dos millennials, mais tecnológicos. Junta-se ao core business, que se concentram na Pestana hotéis e resort com hotéis de quatro estrelas, o segmento de luxo com hotéis no Porto, em Lisboa e Cascais, e o segmento histórico com as Pousadas de Portugal, que gerem desde 2003 e que contribuem com 10% no volume de negócios.

Da Madeira para o Mundo

As raízes do grupo Pestana estão nos negócios de turismo que Manuel Pestana, pai de Dionísio Pestana, fez ao comprar em 1966, o Hotel Atlântico, com 20 quartos, que depois demoliu para dar lugar a um hotel Sheraton, hoje Pestana Carlton Madeira. Em 1976 Dionísio Pestana nascido na África do Sul em 1952, onde se licenciou em Gestão, passou pelo Funchal para resolver questões relacionadas com o hotel antes de prosseguir uma viagem pela Europa. Ficou e começou a construção do seu império.

No início dos anos 80, à medida que o negócio se estabilizava, Dionísio Pestana queria crescer. Em 1986 surgiu, junto ao hotel, o Madeira Beach Club com 300 quartos e adquiriu ao governo regional da Madeira, a ITI, empresa de turismo que tinha o Casino Park (hoje Pestana Casino Park Hotel), o Casino do Funchal e o Centro de Congressos, no Funchal. Depois de ter assegurado uma base sólida no mercado de origem, a Madeira, onde hoje tem 13 hotéis, o Grupo Pestana partiu para o. Em 1992 comprou a Salvor que tinha quatro hotéis no Algarve e, dois anos depois, foi a vez do Carvoeiro Golfe com campos de golfe e imobiliário de turismo e depois abriu em Cascais, Porto e Sintra.

Em 1998 inicia a internacionalização com um hotel em Maputo, no Prédio Funchal, em Bazaruto e em Inhaca. No ano seguinte segue-se o Brasil. Em 2010 com a abertura do Pestana Chelsea Bridge em Londres, o Grupo Pestana deu o seu primeiro passo na Europa, fora de Portugal. Em 2011 abriu o Pestana Berlim.

Desde 2013 que a Pestana International Holdings é a holding de topo, detida por Dionísio Pestana. Tem outros negócios como a participação na EuroAtlantic Airways (transporte aéreo charter associado à família Metello), Atlantic Holidays (agência de viagens), Empresas de Cervejas da Madeira, Albar - Sociedade Imobiliária do Barlavento (49%), Enatur (49%) SDM - Sociedade de Desenvolvimento da Madeira.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 4 semanas

Este Grupo Pestana é um grupo empreendedor e sério pois que paga 500 euros mensalmente a um rececionista! bah! Nojo