Cronista
Camilo Lourenço Jornalista

Camilo Lourenço é licenciado em Direito Económico pela Universidade de Lisboa. Passou ainda pela Universidade de Columbia, em Nova Iorque e University of Michigan, onde fez uma especialização em jornalismo financeiro. Passou também pela Universidade Católica Portuguesa. 

 

Opinião
"Estavam todos feitos" 16.03.2017 Camilo Lourenço
Opinião A poupança desapareceu do dicionário 01.03.2017 Camilo Lourenço
Opinião Por onde andais, Catarina e Jerónimo? 12.02.2017 Camilo Lourenço
Opinião Banca, ministros e mentiras 08.02.2017 Camilo Lourenço
Opinião Portugal? Não, "La La Land" 07.02.2017 Camilo Lourenço
Opinião A falta de ambição é tramada 06.02.2017 Camilo Lourenço
Camilo Lourenço E agora, já se dispensa o Parlamento? 29.03.2017 Camilo Lourenço
Pergunte a dez juristas pela solução para um problema e o mais certo é obter dez propostas diferentes. Cada uma consoante os interesses de quem a pediu.
Camilo Lourenço Ainda bem que há um BCE… e Bruxelas 29.03.2017 Camilo Lourenço 509
O processo de venda do Novo Banco é um bom exemplo de como as instituições europeias nos podem ajudar a proteger da nossa própria estupidez.
Camilo Lourenço Venderam-se ao poder 28.03.2017 Camilo Lourenço 1280
Mariana Mortágua deve estar desesperada. Por um lado, atiram-lhe à cara o "défice mais baixo da democracia". Por outro vê-se confrontada com um modelo de venda do Novo Banco que lhe cria, e ao seu partido, muita urticária.
Camilo Lourenço Como evitar o fim da União Europeia 27.03.2017 Camilo Lourenço 252
O futuro da Europa é o federalismo. Mas as opiniões públicas, sem memória histórica das consequências das I e II guerras mundiais, não estão para aí viradas. Pelo contrário, viram-se para o "orgulhosamente sós", ainda que isso signifique o fim da União ou a regressão ao Mercado Único.
Camilo Lourenço Os investidores não gostam de "one night stand" 24.03.2017 Camilo Lourenço 635
Um dos maiores defeitos da política portuguesa é o repentismo. Por repentismo entenda-se qualquer ação destinada a mostrar serviço. Rapidamente. A ideia tem um objetivo: convencer os eleitores de que há um "quick fix" para os problemas da sociedade portuguesa.
Camilo Lourenço Como sair do radar dos "Dijsselbloems" da Europa 23.03.2017 Camilo Lourenço 880
Como se esperava, a incontenção verbal de Jeroen Dijsselbloem provocou uma barragem de críticas. Umas compreensíveis, outras nem tanto. Como a resposta de António Costa ("Numa Europa a sério, Dijsselbloem já estava demitido"), depois de qualificar o holandês de "sexista, xenófobo e racista".
Camilo Lourenço Tanta virgindade para quê? 22.03.2017 Camilo Lourenço 1161
"Não se pode gastar em mulheres e álcool e, depois, pedir ajuda." O autor da frase é Jeroen Dijsselbloem, o ainda ministro das Finanças da Holanda e presidente do Eurogrupo.
Camilo Lourenço PS, PCP e Bloco não conheciam o plano para a CGD? 21.03.2017 Camilo Lourenço 1134
O Governo negociou com a Comissão Europeia um plano para a recapitalização da Caixa que foi vendida como um grande sucesso. Em 2016. Os seus "compagnons" de coligação, PCP e Bloco de Esquerda, aplaudiram.
Camilo Lourenço Sócrates está preocupado 20.03.2017 Camilo Lourenço 798
Já aqui defendi que o tempo que a Justiça demora a conduzir os processos é um problema para a própria Justiça, que passa a imagem de ineficiência, e para os próprios visados, que são fritos em lume brando enquanto não chega o julgamento.
Camilo Lourenço "Estavam todos feitos" 17.03.2017 Camilo Lourenço 1169
É provável que Paulo Azevedo não tenha percebido bem todo o alcance da sua "acusação". A sua frase, em minha opinião, sumariza tudo o que foi a vida económica portuguesa do pós-democracia.