Enviar por email
Reportar erro
Camilo Lourenço
Jornalista

Camilo Lourenço é licenciado em Direito Económico pela Universidade de Lisboa. Passou ainda pela Universidade de Columbia, em Nova Iorque e University of Michigan, onde fez uma especialização em jornalismo financeiro. Passou também pela Universidade ...

Camilo Lourenço é licenciado em Direito Económico pela Universidade de Lisboa. Passou ainda pela Universidade de Columbia, em Nova Iorque e University of Michigan, onde fez uma especialização em jornalismo financeiro. Passou também pela Universidade Católica Portuguesa. 

 

Experiência profissional - estágio na secção de Economia do semanário “O Jornal” (1987); estágio no jornal “Correio da Manhã (colunista da secção de Bolsa); jornalista na secção de Economia do jornal “Semanário” (1987); editor de Economia da Rádio Correio da Manhã (de 1988 a 1992); redactor principal do “Semanário Económico” (desde 1988); coordenador da secção Nacional do “Diário Económico” (de que foi um dos fundadores) desde 1990.

Director adjunto da revista “Valor”, que ajudou a fundar (1992). Director da mesma revista (1993), onde se manteve até 1995. Editor de Economia da Rádio Comercial, de 1992 a 1997.

Director editorial das revistas masculinas da Editora Abril/Controjornal: “Exame” (revista que também dirigiu); “Executive Digest”; “Turbo”; “Auto Guia”, “Exame Informática” e “Exame Digital” (de 1995 a 2002).

Comentador de assuntos económicos da Rádio Capital, de 2000 a 2005. Director da revista “Maisvalia” (de 2003 a 2005).

Comentador da RTP e RTP Informação, onde passou também a apresentar o programa “A Cor do Dinheiro”, sobre aconselhamento em Finanças Pessoais (desde 2007). Colunista do “Jornal de Negócios (desde 2007); comentador de assuntos económicos do Rádio Clube Português, de 2008 a 2010, estação onde apresentava dois programas: “Moneybox” (Macroeconomia) e “A Cor do Dinheiro” (aconselhamento financeiro).

Comentador de assuntos económicos da Media Capital Rádios (desde 2010). Numa das rádios do grupo, a M80, apresenta dois programas: “Moneybox” e “A Cor do Dinheiro”, herdados do Rádio Clube Português.

Comentador de assuntos económicos da televisão generalista TVI, onde apresenta “Contas na TV”, programa onde esclarece dúvidas dos telespectadores sobre questões de finanças pessoais.

A par destas funções Camilo Lourenço é docente universitário. Leccionou na Universidade de Lisboa, na Universidade Lusíada e no Instituto Superior de Comunicação Empresarial. Por outro lado lecciona pós-graduações e MBA.

Em 2010, por solicitação de várias entidades (portuguesas e multinacionais), começou a fazer palestras de formação, dirigidas aos quadros médios e superiores, em áreas como Liderança, Marketing e Gestão.

Em 2007 estreou-se na escrita, tendo co-autorado o livro “Como Tornar o Benfica Campeão”. Em 2009 lançou o seu primeiro livro a solo, “Como esticar o Salário e Encurtar o Mês”. Em 2012 lançou “Basta!”, um livro onde analisa os problemas da economia portuguesa e as soluções para os ultrapassar.

 

Contactos do Autor
Facebook
Email
últimos artigos do autor
19:20
Um banco concede crédito a um cliente. A certa altura fica claro que esse cliente não o consegue pagar. O que se segue? O banco constitui uma provisão para fazer face à imparidade.
31 de Agosto
O Constitucional funciona segundo a lógica dos anos 1970, quando se corrigiam desequilíbrios macroeconómicos inflacionando a economia. Isso já não é possível. Mas como os juízes continuam a achar que é, as suas decisões não vão divergir desta linha de pensamento.
31 de Agosto
A senhora Merkel tem sido alvo dos maiores insultos na Europa. A começar pelos países do sul, por causa dos programas de ajustamento. Mas é difícil encontrar alguém que esteja a fazer mais pelo futuro da União.
28 de Agosto
Portugal é, em 2015, um país muito melhor para se viver do que era no ano 2000. Essa melhoria não se deve apenas à evolução da economia. Deve-se também à preocupação com o Ambiente.
27 de Agosto
O "Financial Times" fez um rasgado elogio a Espanha por causa das reformas dos últimos quatro anos. O jornal destaca a reforma do mercado de trabalho, a capitalização dos bancos e a reforma fiscal como expoentes de um conjunto de medidas que permitem a Espanha estar a crescer bem acima da média da União.
26 de Agosto
Os portugueses desconfiam profundamente da classe política. Isso é aferível pelos inquéritos de opinião e pela abstenção nos actos eleitorais.
25 de Agosto
Quando António José Seguro era secretário-geral do PS disse aqui que o seu maior erro era não enfrentar a tralha socrática. Seguro, receando cisões internas e o poder de Sócrates no aparelho, foi gerindo o PS com pinças: não se opunha claramente ao legado do seu antecessor, mas não o hostilizava abertamente.
23 de Agosto
O Carlos Tavares, presidente da CMVM, costumava dizer, nos encontros com a Imprensa, que a CMVM usava de alguma tolerância para levar as SAD a cumprir as regras da Bolsa. Não sei se a CMVM mantém essa benevolência, mas espero que não. As sociedades desportivas, seus dirigentes e accionistas já tiveram tempo suficiente para se adaptarem as obrigações do mercado de capitais.
20 de Agosto
Esta quinta-feira pelas 11.56h o "Negócios" colocou no site uma notícia sobre a presença da empresária Isabel dos Santos no Instagram. A notícia, originária da revista "Sábado", dava conta que Isabel tem 7966 seguidores (que à hora em que enviei o artigo já ia em 8441) e que já publicou 67 fotos nesta rede social.
19 de Agosto
O PS criticava há dias o facto de o programa da coligação ser parco em números. Tinha razão: os partidos devem substanciar as propostas para os eleitores poderem fazer contas.
pub