Enviar por email
Reportar erro
Camilo Lourenço
Jornalista

Camilo Lourenço é licenciado em Direito Económico pela Universidade de Lisboa. Passou ainda pela Universidade de Columbia, em Nova Iorque e University of Michigan, onde fez uma especialização em jornalismo financeiro. Passou também pela Universidade ...

Camilo Lourenço é licenciado em Direito Económico pela Universidade de Lisboa. Passou ainda pela Universidade de Columbia, em Nova Iorque e University of Michigan, onde fez uma especialização em jornalismo financeiro. Passou também pela Universidade Católica Portuguesa. 

 

Experiência profissional - estágio na secção de Economia do semanário “O Jornal” (1987); estágio no jornal “Correio da Manhã (colunista da secção de Bolsa); jornalista na secção de Economia do jornal “Semanário” (1987); editor de Economia da Rádio Correio da Manhã (de 1988 a 1992); redactor principal do “Semanário Económico” (desde 1988); coordenador da secção Nacional do “Diário Económico” (de que foi um dos fundadores) desde 1990.

Director adjunto da revista “Valor”, que ajudou a fundar (1992). Director da mesma revista (1993), onde se manteve até 1995. Editor de Economia da Rádio Comercial, de 1992 a 1997.

Director editorial das revistas masculinas da Editora Abril/Controjornal: “Exame” (revista que também dirigiu); “Executive Digest”; “Turbo”; “Auto Guia”, “Exame Informática” e “Exame Digital” (de 1995 a 2002).

Comentador de assuntos económicos da Rádio Capital, de 2000 a 2005. Director da revista “Maisvalia” (de 2003 a 2005).

Comentador da RTP e RTP Informação, onde passou também a apresentar o programa “A Cor do Dinheiro”, sobre aconselhamento em Finanças Pessoais (desde 2007). Colunista do “Jornal de Negócios (desde 2007); comentador de assuntos económicos do Rádio Clube Português, de 2008 a 2010, estação onde apresentava dois programas: “Moneybox” (Macroeconomia) e “A Cor do Dinheiro” (aconselhamento financeiro).

Comentador de assuntos económicos da Media Capital Rádios (desde 2010). Numa das rádios do grupo, a M80, apresenta dois programas: “Moneybox” e “A Cor do Dinheiro”, herdados do Rádio Clube Português.

Comentador de assuntos económicos da televisão generalista TVI, onde apresenta “Contas na TV”, programa onde esclarece dúvidas dos telespectadores sobre questões de finanças pessoais.

A par destas funções Camilo Lourenço é docente universitário. Leccionou na Universidade de Lisboa, na Universidade Lusíada e no Instituto Superior de Comunicação Empresarial. Por outro lado lecciona pós-graduações e MBA.

Em 2010, por solicitação de várias entidades (portuguesas e multinacionais), começou a fazer palestras de formação, dirigidas aos quadros médios e superiores, em áreas como Liderança, Marketing e Gestão.

Em 2007 estreou-se na escrita, tendo co-autorado o livro “Como Tornar o Benfica Campeão”. Em 2009 lançou o seu primeiro livro a solo, “Como esticar o Salário e Encurtar o Mês”. Em 2012 lançou “Basta!”, um livro onde analisa os problemas da economia portuguesa e as soluções para os ultrapassar.

 

Contactos do Autor
Facebook
Email
últimos artigos do autor
19:50
É sempre difícil criticar alguém com quem temos uma boa relação profissional e pessoal. É o caso de António Saraiva, presidente da CIP. Mas a afirmação que fez ao "Público" não está correcta.
22 de Abril
Em 1986, o PCP dizia que votar em qualquer dos candidatos às presidenciais, Mário Soares e Freitas do Amaral, era "contra-natura". Mas confrontado com Freitas e Soares na segunda volta das eleições, "engoliu o sapo" (outra expressão preferida de Cunhal) e votou em Soares. Supõe-se que por ser menos "contra-natura"…
21 de Abril
Há três décadas que a classe política portuguesa recusa os conselhos que organizações como o FMI (e agora também a Comissão Europeia e Banco Central Europeu) recomendam para reformar a economia.
20 de Abril
Num dia a ministra das Finanças diz que o governo vai avançar com uma taxa sobre produtos que fazem mal à Saúde. Um dia depois o ministro da Saúde confirma essa ideia (que já tinha sido, aliás, exposta anteriormente pelo Secretário de Estado Leal da Costa). Ao terceiro dia outro ministro, o da Economia, junta-se ao debate. Para dizer exactamente o contrário daquilo que disseram os colegas de governo.
16 de Abril
Há dois dias a Morgan Stanley avançou que a economia portuguesa poderá crescer até 2% em 2014. Entre outras razões, pela melhoria da procura interna e das exportações.
15 de Abril
Você vive num país com défices consecutivos das contas públicas há 39 anos. E, por isso, ultra-endividado (os défices de um ano são dívida no ano seguinte).
14 de Abril
A Comissão Europeia confirmou aquilo que já se sabia: o sistema de pensões em Portugal vai mudar. E essa mudança vai reflectir a evolução demográfica do país e o crescimento económico (criação de riqueza).
13 de Abril
Estamos a dias de comemorar os 40 anos da revolução que nos devolveu a Liberdade. Devia ser um momento de reflexão para tentar perceber porque é que essa Liberdade não foi acompanhada do desenvolvimento económico que nos prometeram.
10 de Abril
Os últimos três anos ficaram marcados por um ideia repetida "ad nauseam": o programa de ajustamento não vai funcionar! Cá, na Grécia... na Irlanda.
09 de Abril
O FMI diz que Portugal deverá ter défices orçamentais pelo menos até ao ano de 2019. Altura em que o excesso de despesa sobre receita deve chegar a 1,2% do PIB (1,6% em 2017 e 1,4% em 2018).
pub