Enviar por email
Reportar erro
Camilo Lourenço
Jornalista

Camilo Lourenço é licenciado em Direito Económico pela Universidade de Lisboa. Passou ainda pela Universidade de Columbia, em Nova Iorque e University of Michigan, onde fez uma especialização em jornalismo financeiro. Passou também pela Universidade ...

Camilo Lourenço é licenciado em Direito Económico pela Universidade de Lisboa. Passou ainda pela Universidade de Columbia, em Nova Iorque e University of Michigan, onde fez uma especialização em jornalismo financeiro. Passou também pela Universidade Católica Portuguesa. 

 

Experiência profissional - estágio na secção de Economia do semanário “O Jornal” (1987); estágio no jornal “Correio da Manhã (colunista da secção de Bolsa); jornalista na secção de Economia do jornal “Semanário” (1987); editor de Economia da Rádio Correio da Manhã (de 1988 a 1992); redactor principal do “Semanário Económico” (desde 1988); coordenador da secção Nacional do “Diário Económico” (de que foi um dos fundadores) desde 1990.

Director adjunto da revista “Valor”, que ajudou a fundar (1992). Director da mesma revista (1993), onde se manteve até 1995. Editor de Economia da Rádio Comercial, de 1992 a 1997.

Director editorial das revistas masculinas da Editora Abril/Controjornal: “Exame” (revista que também dirigiu); “Executive Digest”; “Turbo”; “Auto Guia”, “Exame Informática” e “Exame Digital” (de 1995 a 2002).

Comentador de assuntos económicos da Rádio Capital, de 2000 a 2005. Director da revista “Maisvalia” (de 2003 a 2005).

Comentador da RTP e RTP Informação, onde passou também a apresentar o programa “A Cor do Dinheiro”, sobre aconselhamento em Finanças Pessoais (desde 2007). Colunista do “Jornal de Negócios (desde 2007); comentador de assuntos económicos do Rádio Clube Português, de 2008 a 2010, estação onde apresentava dois programas: “Moneybox” (Macroeconomia) e “A Cor do Dinheiro” (aconselhamento financeiro).

Comentador de assuntos económicos da Media Capital Rádios (desde 2010). Numa das rádios do grupo, a M80, apresenta dois programas: “Moneybox” e “A Cor do Dinheiro”, herdados do Rádio Clube Português.

Comentador de assuntos económicos da televisão generalista TVI, onde apresenta “Contas na TV”, programa onde esclarece dúvidas dos telespectadores sobre questões de finanças pessoais.

A par destas funções Camilo Lourenço é docente universitário. Leccionou na Universidade de Lisboa, na Universidade Lusíada e no Instituto Superior de Comunicação Empresarial. Por outro lado lecciona pós-graduações e MBA.

Em 2010, por solicitação de várias entidades (portuguesas e multinacionais), começou a fazer palestras de formação, dirigidas aos quadros médios e superiores, em áreas como Liderança, Marketing e Gestão.

Em 2007 estreou-se na escrita, tendo co-autorado o livro “Como Tornar o Benfica Campeão”. Em 2009 lançou o seu primeiro livro a solo, “Como esticar o Salário e Encurtar o Mês”. Em 2012 lançou “Basta!”, um livro onde analisa os problemas da economia portuguesa e as soluções para os ultrapassar.

 

Contactos do Autor
Facebook
Email
últimos artigos do autor
19:30
Estava meio país à espera da melhoria da notação da República e as agências de rating decidiram ser desmancha-prazeres: mantiveram a nota.
26 de Março
"O Governo cumpriu por excesso as metas a que se propôs em 2014". A frase é de Luís Marques Guedes, ministro da Presidência, e refere-se ao défice orçamental de 2014: 4,5% do PIB, 0,3 décimas abaixo do previsto. E aparentemente é inofensiva.
26 de Março
Todos sabemos que os portugueses têm baixa literacia financeira. Esperar-se-ia, por isso, que os políticos adoptassem um discurso didáctico. Mas fazem exactamente o contrário, como se viu na rábula dos "cofres cheios".
26 de Março
A compra do Novo Banco por investidores de outras geografias, com os bolsos cheios, será benéfica para o sistema financeiro e melhora a imagem do país.
24 de Março
O "affaire" Banco Espírito Santo está a revelar-se um espelho da desresponsabilização do Estado português.
24 de Março
Em Portugal defendemos a lei quando joga a nosso favor; mas somos os primeiros a pô-la de lado quando não nos dá jeito. O que se está a passar com o papel comercial das empresas do GES é um bom exemplo.
22 de Março
Há semanas disse que a Grécia vai ser sempre um problema para a zona Euro. Uma espécie de "problema child"… Já passou mais de um mês desde que o Syriza assumiu o poder e não aconteceu nada.
19 de Março
Avaliar as decisões da Justiça é sempre tarefa muito difícil. Porque o cidadão comum, mesmo quando conhece a fundamentação das decisões dos juízes, não está por dentro dos factos. É uma das razões pela qual não gosto de comentar casos concretos da Justiça, mormente quando eles não estão ainda decididos.
18 de Março
Os "opinion makers" são frequentemente acusados de terem uma visão negativa e pessimista do país. É verdade. Mas é preciso perguntar se não têm razões para esse pessimismo. E têm.
17 de Março
O Banco Central Europeu está preocupado com a deflação. Faz sentido? Faz, como se vê pela queda consistente do índice geral de preços.
pub