Enviar por email
Reportar erro
Camilo Lourenço
Jornalista

Camilo Lourenço é licenciado em Direito Económico pela Universidade de Lisboa. Passou ainda pela Universidade de Columbia, em Nova Iorque e University of Michigan, onde fez uma especialização em jornalismo financeiro. Passou também pela Universidade ...

Camilo Lourenço é licenciado em Direito Económico pela Universidade de Lisboa. Passou ainda pela Universidade de Columbia, em Nova Iorque e University of Michigan, onde fez uma especialização em jornalismo financeiro. Passou também pela Universidade Católica Portuguesa. 

 

Experiência profissional - estágio na secção de Economia do semanário “O Jornal” (1987); estágio no jornal “Correio da Manhã (colunista da secção de Bolsa); jornalista na secção de Economia do jornal “Semanário” (1987); editor de Economia da Rádio Correio da Manhã (de 1988 a 1992); redactor principal do “Semanário Económico” (desde 1988); coordenador da secção Nacional do “Diário Económico” (de que foi um dos fundadores) desde 1990.

Director adjunto da revista “Valor”, que ajudou a fundar (1992). Director da mesma revista (1993), onde se manteve até 1995. Editor de Economia da Rádio Comercial, de 1992 a 1997.

Director editorial das revistas masculinas da Editora Abril/Controjornal: “Exame” (revista que também dirigiu); “Executive Digest”; “Turbo”; “Auto Guia”, “Exame Informática” e “Exame Digital” (de 1995 a 2002).

Comentador de assuntos económicos da Rádio Capital, de 2000 a 2005. Director da revista “Maisvalia” (de 2003 a 2005).

Comentador da RTP e RTP Informação, onde passou também a apresentar o programa “A Cor do Dinheiro”, sobre aconselhamento em Finanças Pessoais (desde 2007). Colunista do “Jornal de Negócios (desde 2007); comentador de assuntos económicos do Rádio Clube Português, de 2008 a 2010, estação onde apresentava dois programas: “Moneybox” (Macroeconomia) e “A Cor do Dinheiro” (aconselhamento financeiro).

Comentador de assuntos económicos da Media Capital Rádios (desde 2010). Numa das rádios do grupo, a M80, apresenta dois programas: “Moneybox” e “A Cor do Dinheiro”, herdados do Rádio Clube Português.

Comentador de assuntos económicos da televisão generalista TVI, onde apresenta “Contas na TV”, programa onde esclarece dúvidas dos telespectadores sobre questões de finanças pessoais.

A par destas funções Camilo Lourenço é docente universitário. Leccionou na Universidade de Lisboa, na Universidade Lusíada e no Instituto Superior de Comunicação Empresarial. Por outro lado lecciona pós-graduações e MBA.

Em 2010, por solicitação de várias entidades (portuguesas e multinacionais), começou a fazer palestras de formação, dirigidas aos quadros médios e superiores, em áreas como Liderança, Marketing e Gestão.

Em 2007 estreou-se na escrita, tendo co-autorado o livro “Como Tornar o Benfica Campeão”. Em 2009 lançou o seu primeiro livro a solo, “Como esticar o Salário e Encurtar o Mês”. Em 2012 lançou “Basta!”, um livro onde analisa os problemas da economia portuguesa e as soluções para os ultrapassar.

 

Contactos do Autor
Facebook
Email
últimos artigos do autor
20:40
Portugal introduziu os Golden Visa em 2012, seguindo um caminho já trilhado por outros países da zona Euro. A lei prevê a atribuição do estatuto de residente a quem fizesse uma de três coisas: investimento que criasse pelo menos 10 postos de trabalho, compra de imobiliário no valor de 500 mil euros ou a transferência para Portugal de um milhão de euros.
00:01
A Galp e a REN decidiram não pagar a contribuição extraordinária, devida pelas empresas do sector energético, criada pelo governo em 2014. A Galp devia ter pago 35 milhões de euros e a REN 25 milhões.
18 de Novembro
4.ª feira, dia 30 de Julho. A nova administração do Banco Espírito Santo, liderada por Vítor Bento, apresenta prejuízos recorde de 3577 milhões de euros.
17 de Novembro
O inquérito à falência do BES promete dar que falar. Ao estrear as audições no Parlamento, ontem, o governador do Banco de Portugal cometeu um erro. Falando sobre a "resolução" do banco, Carlos Costa disse ter sido uma "decisão política".
17 de Novembro
O PS rompeu o acordo para baixar o Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Colectivas (IRC). A baixa do IRC foi das poucas áreas onde governo e oposição conseguiram entender-se para um acordo de regime. Com base nesse acordo o IRC baixou de 25 para 23% este ano e 21% em 2015. Mas a descida não ficaria por aqui: a ideia era colocar o IRC entre 17 e 19% em 2016. Objectivo: captar investimento estrangeiro.
14 de Novembro
Quando Margaret Thatcher chegou ao poder, iniciou uma luta impiedosa contra alguns sindicatos. E isso valeu-lhe muitos dissabores: manifestações, violência nas ruas, greves.
13 de Novembro
Quem ouvir a classe política sobre o estado da economia fica a pensar que o país está livre de perigo. Não está. E o Banco de Portugal fez ontem o favor de pôr os pontos nos "is".
11 de Novembro
Já aqui avancei que por vezes sou confrontado com analistas, e mesmo jornalistas, que dizem não poder concordar publicamente com algumas medidas do programa de ajustamento para não lhes colarem o rótulo de apoiantes da Troika e do governo.
10 de Novembro
Cavaco Silva perguntou ontem o que andaram a fazer os gestores da PT e os seus accionistas, numa crítica ao que se está a passar na Portugal Telecom.
10 de Novembro
Nos últimos dias têm-se multiplicado as críticas ao governo por causa do Orçamento do Estado para 2015. Porque é optimista quanto ao crescimento da economia, porque é generoso na previsão para o desemprego, porque acredita que a dívida pública vai começar a cair…
pub