João Quadros
João Quadros 20 de janeiro de 2017 às 10:24

Mais Salgado

Mais duas horas de conversa, e um prego do Gambrinus, e o Doutor Salgado ainda conseguia convencer o juiz Carlos Alexandre a comprar o Novo Banco.
Foi a notícia do dia, o ex-presidente do BES estava no Departamento Central de Investigação e Acção Penal para prestar declarações no processo Marquês. O MP suspeita que Salgado deu ordens para transferir dinheiro para Sócrates. Ao fim de quase três anos ainda há notícias do dia da operação Marquês. Não sei se isso é bom.

À Operação Marquês juntou-se a falência do Universo Espírito Santo e o Monte Branco: Salgado é arguido nos três processos. A Judiciária devia escrever SALGADO com os dossiês dos processos como fazem com tijolos de haxixe. Com mais esta acusação, Ricardo Salgado já tem currículo para ser presidente do Parlamento Europeu.

Confesso, quando ouvi a notícia, fiquei admirado. Ricardo Salgado, que agora já podia ir para onde quisesse, estava no DCIAP?! Provavelmente, não havia neve em St.Moritz.

Depois de ter sido ouvido durante várias horas no DCIAP, como é hábito, ficámos a saber (sabe-se lá como) que, desta vez, o MP pedia uma medida de coacção pesada para Ricardo Salgado. Termo de identidade e residência era insuficiente para os procuradores da "Operação Marquês" e sai muito caro pôr polícia à volta daquela moradia. Salgado ainda leva a PSP à falência.

O ex-presidente do BES ia, de seguida, ser ouvido pelo célebre juiz Carlos Alexandre, que iria decidir a medida aplicar. Esperava-se castigo severo mas, afinal, Salgado regressava a casa proibido de se ausentar do país. O MP, segundo as fontes, queria medidas de coacção mais pesadas mas, provavelmente, o charme do Doutor Ricardo Salgado foi demais para uma alma simples como a do Carlos Alexandre. Uma coisa é o Pinto de Sousa, que ele topa que veio das berças como ele, outra o Doutor Salgado, que sabe usar vinte e quatro talheres desde que nasceu. Mais duas horas de conversa, e um prego do Gambrinus, e o Doutor Salgado ainda conseguia convencer o juiz Carlos Alexandre a comprar o Novo Banco.

De resto, o "castigo" que Salgado levou foi não poder falar com Sócrates. Mais de dois anos depois do caso ter começado, Salgado não pode falar com Sócrates. Agora é tarde. A única coisa que evita são os telefonemas de Sócrates a gozar com o Sporting.

O ex-DDT está também proibido de falar com pessoas do "Universo Espírito Santo". Ou seja, Salgado pode levar um vida normal se ficar afónico. Esta medida é mais pesada, mas seria muito pior se tivesse sido aplicada há um mês. Imagina, o estimado leitor, como seria a ceia de Natal do Doutor Salgado sem poder falar com pessoas do Universo Espírito Santo? Bem sei que, provavelmente, metade da família não lhe quer falar, mas ia ser complicado não poder falar com ninguém. Já estou a ver o Doutor Salgado a imitar um peru para lhe passarem a travessa.

Sobrinha do Dr. Salgado - "O Tio Ricardo esta a ter um AVC, mãe?"

Irmã do Dr. Salgado - "Não, querida, está a pedir para lhe passarem a travessa das carnes frias."


top 5

Monte Marquês do BES

1. "Jornalistas aprovam boicote a conferências de imprensa sem direito a perguntas" - Congresso dos jornalistas dá conferência de imprensa sem direito a perguntas de jornalistas.

2. "Católica melhora previsão de crescimento do PIB para 1,7%" - mas por causa da visita do Papa Francisco.

3. "Ulrich diz que quem pagou resgate os bancos foram accionistas e não contribuintes" - na verdade, somos todos accionistas à força.

4. "Cristas desconfortável com atitude de Passos Coelho" - é para ficar a saber o que sentimos quando ela abre a boca e leva embrulhos para a Assembleia.

5. "PS vai chumbar terça-feira de Carnaval como feriado obrigatório" - se for por causa da gripe e das urgências, faz sentido.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub