João Quadros
João Quadros 28 de abril de 2017 às 12:17

Um Estado laico-intolerante

Eu estava convencido de que o Estado era laico. Afinal, é laico-intolerante. Esta mania de o nosso PM estar de bem com Deus e o Diabo ainda vai dar mau resultado.
"O Governo vai conceder tolerância de ponto nos serviços públicos a 12 de Maio, dia em que o Papa Francisco chega a Portugal para o centenário das "Aparições" de Fátima, disse hoje à Lusa fonte do Executivo". Para quê?! Custa-me a acreditar que na Função Pública ainda haja gente que acredita em milagres.

Eu estava convencido de que o Estado era laico. Afinal, é laico-intolerante. Esta mania de o nosso PM estar de bem com Deus e o Diabo ainda vai dar mau resultado.

Faz-me muita confusão ver tolerância de ponto por causa da visita do Papa. Quando veio cá o Dalai Lama, ninguém lhe ligou nenhuma. Nem o governo anterior decretou tolerância de ponto quando veio cá a Angela Merkel e sabemos que, para eles, a palavra dela é sagrada e que a austeridade era uma religião para aquela gente.

Agora faz mais sentido a tolerância de ponto no Carnaval porque as pessoas podem querer ir ver alguém mascarado de Papa.

Lembro-me que, quando veio cá o Bento XVI (eu chamava-lhe Papa Bento 4x4, porque dava um ar todo-o-terreno), o CDS e outros queriam tolerância de ponto.

Ainda sou do tempo (Cavaco) que a visita do Papa, além de tolerância de ponto, dava perdão das multas de trânsito. Isso é que era! O que eu gostava mesmo é que o Papa ainda fizesse aquele milagre de tirar multas de trânsito quando vinha a Portugal. Era espectacular. Fosse pecador, ou não, lá iam várias multas de estacionamento para o inferno. Seis meses antes da visita do Papa, eu estacionava em cima de estátuas porque já sabia que aquilo ia ser tudo desculpado graças a um senhor que vivia num bairro chique em Roma.

Nunca ninguém me explicou a razão para amnistiar multas de excesso de velocidade quando o nosso país era visitado por um sujeito que, de carro, nunca ultrapassou os 20 km/hora na vida. Se o Vettel viesse a Fátima, fazia sentido, assim não.

Vivemos num Estado laico em que, no Prós e Contras, na televisão pública, vão padres debater o casamento homossexual, o aborto e a eutanásia e onde um ex-Presidente da República atribuía o sucesso nas reuniões com a troika a Nossa Senhora. Temos uma TV de um Estado laico que anuncia, com ar sério, a canonização de pastorinhos. Eu sou grande apreciador de ficção científica, mas fora dos noticiários. Ainda bem que querem proibir os véus islâmicos, chega de manifestações religiosas.

Acho um disparate um Governo do PS dar tolerância de ponto porque o Papa Francisco, no dia 12, aterra em Figo Maduro. Se ainda fosse no aeroporto de Beja, havia uma razão lógica porque era um milagre alguém dar uso àquilo.

Seja como for, agradeço a tolerância de ponto, mas o que me dava mesmo jeito, nos dias da visita do Papa, era um desconto nos bilhetes de avião para Itália, porque eu adoro ir a Roma quando não está lá o Papa, que é para não me sentir na obrigação de ir vê-lo.

top 5

Valha-nos Nossa Senhora

1. Marcelo condecorou Alexandre Soares dos Santos - com a Orde Van Oranje Nassau.

2. Comemorações do 25 de Abril encheram Avenida da Liberdade - o que mais sinto falta, nas comemorações do 25 de Abril, é de uma romagem seguida de mijadela no túmulo de Salazar.

3. Venezuela anuncia saída da Organização de Estados Americanos - Maduro viu a cara de Theresa May numa parede de uma obra.

4. O candidato às autárquicas Isaltino Morais diz que processo "é passado" e promete Oeiras "na vanguarda" - ainda assim, os cartazes vão ter Isaltino de perfil e de frente a segurar um número.

5. No discurso comemorativo do 25 de Abril, Marcelo pede "nacionalismo" mas que seja "patriótico" - Marcelo não usou cravo vermelho na lapela por respeito ao padrinho. 



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

Há indivíduos que não têm medo de expor a mentira e a falsidade da nossa sociedade. Este João Quadros é um deles e tem coragem para fazer frente e denunciar a mesquinhez e subserviência do estado dito laico, a uma religião (seja ela qual for) que apenas pretende cada vez mais poder. Parabéns.

pub
pub
pub