Cronista
José M. Brandão de Brito
Opinião
Tensões entre EUA e China não vão desaparecer 23.04.2018 José M. Brandão de Brito
Opinião Magnanimidade à chinesa  16.04.2018 José M. Brandão de Brito
Opinião A natureza mecanicista dos ciclos económicos 09.04.2018 José M. Brandão de Brito
Opinião Sem ordem nem simetria  12.03.2018 José M. Brandão de Brito
Opinião O retorno da volatilidade 15.02.2018 José M. Brandão de Brito
Opinião Da crise de Merkel à reforma de Macron 29.01.2018 José M. Brandão de Brito
Opinião O improvável sucesso de um Presidente improvável 15.01.2018 José M. Brandão de Brito
Opinião A fuga do tempo 27.12.2017 José M. Brandão de Brito
Opinião Brevíssima história económica do séc. XXI 13.12.2017 José M. Brandão de Brito
Opinião Existe Europa sem Merkel? 04.12.2017 José M. Brandão de Brito
José M. Brandão de Brito Tensões entre EUA e China não vão desaparecer 23.04.2018 José M. Brandão de Brito
Se a China irá assumir predomínio global ou não, só o futuro dirá. Mas há uma coisa de que podemos estar certos: os EUA, sobretudo se sob o comando de D. Trump, não irão tragar esta ambição hegemónica da China de ânimo leve.
José M. Brandão de Brito Magnanimidade à chinesa  16.04.2018 José M. Brandão de Brito
Não é magnanimidade, muito menos capitulação: é estratégia, retirada do mais puro cânone chinês.
José M. Brandão de Brito A natureza mecanicista dos ciclos económicos 09.04.2018 José M. Brandão de Brito
Taxas de juro artificialmente baixas estimulam o crédito e induzem níveis excessivos de consumo e investimento inadequado. O resultado é a aceleração do PIB e a subida da inflação.
José M. Brandão de Brito Sem ordem nem simetria  12.03.2018 José M. Brandão de Brito
Tanto estímulo orçamental em cima de um ciclo expansionista já longo constitui um risco inflacionista que a Reserva Federal não pode ignorar.
José M. Brandão de Brito O retorno da volatilidade 15.02.2018 José M. Brandão de Brito
Se o movimento de subida das taxas de juro se consolidar ou intensificar, mais tarde ou mais cedo começarão a aparecer fraturas no complexo financeiro das empresas e dos estados mais endividados.
José M. Brandão de Brito Da crise de Merkel à reforma de Macron 29.01.2018 José M. Brandão de Brito
O mérito de Macron na promoção ativa da federalização da política orçamental europeia é inegável, como o é o de Merkel na sustentação passiva de um projeto político que nunca veria a luz do dia sem a sua chancela.
José M. Brandão de Brito O improvável sucesso de um Presidente improvável 15.01.2018 José M. Brandão de Brito 21
A obstinação e desprezo pelas consequências políticas das suas ações levam a crer que a muralha na fronteira do México venha um dia a ser erigida.
José M. Brandão de Brito A fuga do tempo 27.12.2017 José M. Brandão de Brito
A mudança incessante que caracteriza o nosso tempo é talvez a principal alteração face à era que terminou com o advento da revolução informacional.
José M. Brandão de Brito Brevíssima história económica do séc. XXI 13.12.2017 José M. Brandão de Brito
Esgotado o expediente da dívida, os países desenvolvidos foram forçados a recuperar competitividade, nomeadamente através da contenção salarial.
José M. Brandão de Brito Existe Europa sem Merkel? 04.12.2017 José M. Brandão de Brito
Angela Merkel faz parte de uma estirpe de líderes, em vias de extinção, para quem a Europa é uma aspiração de paz e prosperidade.