Cronista
José M. Brandão de Brito
Opinião
Tempestade perfeita nos mercados emergentes 11.06.2018 José M. Brandão de Brito
Opinião Tempestade perfeita na Europa 28.05.2018 José M. Brandão de Brito
Opinião Tempestade perfeita em Itália 21.05.2018 José M. Brandão de Brito
Opinião O que se passa na Europa? 07.05.2018 José M. Brandão de Brito
Opinião Tensões entre EUA e China não vão desaparecer 23.04.2018 José M. Brandão de Brito
Opinião Magnanimidade à chinesa  16.04.2018 José M. Brandão de Brito
Opinião A natureza mecanicista dos ciclos económicos 09.04.2018 José M. Brandão de Brito
Opinião Sem ordem nem simetria  12.03.2018 José M. Brandão de Brito
Opinião O retorno da volatilidade 15.02.2018 José M. Brandão de Brito
Opinião Da crise de Merkel à reforma de Macron 29.01.2018 José M. Brandão de Brito
José M. Brandão de Brito Tempestade perfeita nos mercados emergentes 11.06.2018 José M. Brandão de Brito
A dívida em dólares dos mercados emergentes deverá ser uma das primeiras vítimas. Esta circunstância torna-se ainda mais penosa pelo considerável aumento da emissão de dívida pública dos EUA para financiar os cortes de impostos de Trump.
José M. Brandão de Brito Tempestade perfeita na Europa 28.05.2018 José M. Brandão de Brito 21
A redução das compras de dívida do BCE está já a refletir-se num abrandamento do crédito, com efeitos negativos sobre a procura agregada da área do euro.
José M. Brandão de Brito Tempestade perfeita em Itália 21.05.2018 José M. Brandão de Brito
Itália é um dos principais pontos de entrada dos imigrantes ilegais e refugiados do Médio Oriente. A sua economia está estagnada há duas décadas e foi a que menos cresceu na área do euro.
José M. Brandão de Brito O que se passa na Europa? 07.05.2018 José M. Brandão de Brito
O impulso monetário está a desvanecer-se (presumivelmente devido à redução do ritmo de compras mensais de dívida por parte do BCE), o que se nota no abrandamento do crédito às empresas e às famílias.
José M. Brandão de Brito Tensões entre EUA e China não vão desaparecer 23.04.2018 José M. Brandão de Brito
Se a China irá assumir predomínio global ou não, só o futuro dirá. Mas há uma coisa de que podemos estar certos: os EUA, sobretudo se sob o comando de D. Trump, não irão tragar esta ambição hegemónica da China de ânimo leve.
José M. Brandão de Brito Magnanimidade à chinesa  16.04.2018 José M. Brandão de Brito 20
Não é magnanimidade, muito menos capitulação: é estratégia, retirada do mais puro cânone chinês.
José M. Brandão de Brito A natureza mecanicista dos ciclos económicos 09.04.2018 José M. Brandão de Brito
Taxas de juro artificialmente baixas estimulam o crédito e induzem níveis excessivos de consumo e investimento inadequado. O resultado é a aceleração do PIB e a subida da inflação.
José M. Brandão de Brito Sem ordem nem simetria  12.03.2018 José M. Brandão de Brito
Tanto estímulo orçamental em cima de um ciclo expansionista já longo constitui um risco inflacionista que a Reserva Federal não pode ignorar.
José M. Brandão de Brito O retorno da volatilidade 15.02.2018 José M. Brandão de Brito
Se o movimento de subida das taxas de juro se consolidar ou intensificar, mais tarde ou mais cedo começarão a aparecer fraturas no complexo financeiro das empresas e dos estados mais endividados.
José M. Brandão de Brito Da crise de Merkel à reforma de Macron 29.01.2018 José M. Brandão de Brito
O mérito de Macron na promoção ativa da federalização da política orçamental europeia é inegável, como o é o de Merkel na sustentação passiva de um projeto político que nunca veria a luz do dia sem a sua chancela.