Luís Todo Bom
Luís Todo Bom 07 de outubro de 2013 às 00:01

Os enigmas do Algarve

Tendo passado, uma vez mais, como o faço há mais de uma década, as férias no Algarve e regressado a Lisboa, não consigo deixar de me interrogar como é possível que nada de estrutural tenha acontecido durante este período de tempo, naquela região do País.

Tendo passado, uma vez mais, como o faço há mais de uma década, as férias no Algarve e regressado a Lisboa, não consigo deixar de me interrogar como é possível que nada de estrutural tenha acontecido durante este período de tempo, naquela região do País. 


O Algarve é, provavelmente, a região balnear europeia com maior sazonalidade, tornando quase impossível a rentabilização de algumas unidades hoteleiras e obrigando ao encerramento de vários restaurantes e hotéis durante metade do ano.

É um destino cada vez mais concentrado no "sol e praia", sem qualquer diferenciação significativa, o que obriga a uma competição internacional pelo preço, com a correspondente redução de valor acrescentado desta actividade.

As melhorias das taxas de ocupação deste ano são meramente conjunturais, resultantes do desvio de turistas de "sol e praia" dos destinos africanos com os quais o Algarve concorre, por força das alterações de segurança desses países.

Têm sido, no entanto, identificados os segmentos de mercado em que o Algarve se poderia diferenciar e reduzir a sazonalidade, mas, surpreendentemente poucas ou nenhumas acções foram desenvolvidas nesse sentido.

São os enigmas do Algarve!

• O "segmento de congressos e incentivos", exigiria, para o seu desenvolvimento e para poder competir com outros destinos europeus, a construção dum Centro de Congressos e de Exposições, com capacidade para receber Congressos de 3000 participantes, exposições temáticas e grandes espectáculos, ou seja, um Centro de Congressos com uma área útil da ordem dos 20.000m2 .

Não há nenhuma iniciativa em curso e a ocupação continuada de Vilamoura, que é a localização ideal, começa a tornar difícil a sua construção.

• O "segmento da terceira idade", residencial e hoteleira, assim como o turismo de saúde, exigiria uma infra-estrutura exemplar de clínicas hospitalares. A retenção de médicos de qualidade e o desenvolvimento destes "clusters", só será possível com a construção de uma Faculdade de Medicina no Algarve.

Não há nenhuma iniciativa em curso nesta área.

• O "segmento do golfe" exigiria a construção e gestão em rede de mais campos de golfe, criando uma massa crítica para negociação com operadores especializados e companhias de aviação.

A aprovação de um novo campo de golfe continua a demorar 10 anos!

Como é possível que os anos passem e tudo continue na mesma?

Como é que se acredita que com simples acções de promoção, promovendo um produto que não tem qualquer diferenciação, se altera a sazonalidade da região?

Como é que alguém nos pode levar a sério quando se afirma que a nossa estratégia passa por sermos "A Florida da Europa"?

A Florida tem tudo: Centros de Congressos, uma Indústria de Saúde suportada em Centros Hospitalares e Faculdades de Medicina de vanguarda, Campos de golfe variados, Ligações aéreas privilegiadas, uma Indústria de "Entertainment" activa.

O "nosso" Algarve continua adiado!

Sem qualquer estratégia consistente e, sobretudo, sem qualquer realização significativa.

* Professor Associado Convidado do ISCTE

A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado jose monteiro 07.10.2013

OLHO VIVO:
O nosso país não sabe explorar o que quer que seja , desde a gestão da caça por exemplo, o golfe e outras actividades desportivas.
Com um clima excepcional, com um sol e uma luminosidade estonteante, o Algarve,bem como outras zonas, as suas praias uma gastronomia invejável, o peixe , as diversas qualidades de pão , o vinho e suas variedades , o azeite as frutas e legumes com o que há de melhor no mundo.
Pergunta-se: Onde quer que vá uma familia com filhos das mais diversas idades o que fazem , quer de dia quer à noite? Exceptuando a praia ? E os adultos?Onde estão os retiros de diversão , um bom anfiteatro ao ar livre com boa música, desde concertos de verão , a música que se possa consumir, entre outras actividades?A cultura no verão não vai de férias .
É de lamentar a falta de imaginação, é o espelho do país que temos e da qualidade de quem nos governa , quer a nivel local ou a nivel nacional.
Que cultura e educação tem esta gentalha?
Não vendam o país a retalho, vendam o que o país produz de bom, até a inteligência que por aí há e muita ...mas mal aproveitada

comentários mais recentes
Anónimo 09.10.2013

É relativamente fácil mandar uns palpites sobre o Algarve quando cá se passam férias. É de facto o conhecimento superficial que gera esse tipo de opiniões. A corrupção destrói muita iniciativa privada de gente honesta que não pactua, nem concorre com os poderes instituídos.
Não é local para mais explicações mas elas existem!

Anónimo 09.10.2013

O articulista e a populaça que comenta são unânimes em que os donos dos hoteis no Algarve são pouco informados, não entendem o seu negócio ou não querem trabalhar no Inverno. Todos precisam de seres mais iluminados, sejam presidentes de câmara ou professores do ISCTE para lhes dizer como gerir o seu próprio negócio. Porque é que os seres iluminados não se juntam todos e abrem um hotel COM O SEU DINHEIRO para se forrarem com os charters de congressistas no Inverno?

Anónimo 07.10.2013

Ó respeitável Prof. ! Modestamente, concordo com mais este seu escrito mas convenhamos que o tema é "areia demais para a camioneta" dos mentecaptos que se apresentam a eleições para governar o burgo e são eleitos ! E continuam a candidatar-se e a ser eleitos !
Mais valera que o Bolonhês e não só, não tivessem a trabalheira que tiveram para desanexar o Al Gharb do continente Africano !

Malaquias 07.10.2013

Sou Algarvio e concordo 100% com o que esta escrito.
Para comecar o Algarvio nao gosta muito de vergar a mola! Segundo diz que e' regionalista e reutteu teu e 3 pardais ao ninho, mas nao defende em nada aquilo que e' dele - E nao me vou alongar na discussao, poir teria muito que escrever - Sendo nascido e "criado" no Algarve, embora so' la' tenha a casa e a familia e alguns dos amigos mai proximos, isto permite-me ter uma analise externa do que realmente se passa.
Regiao de turismo? Um bando de pategos que so' sabem dizer:
- Pois, este ano esta' mau porque o governo aumentou o IVA. Este ano estamos en crise porque... apareceram umas nuvens e o sol fugiu e o pessoal fugiu...
E, agora tocando no bairrismo , que quando em exagero tem as consequencias que se conhecem noutra regiao do pais, quando o Benfica ou o Sproting vao jogar a Olhao, e' ver os lagartos e os lampioes , 95% algarvios a puxarem pelo clube do coracao.
Mas continua a ser o melhor sitio do mundo para se viver - `a excepcao de Julho e Agosto!
Bem hajam!

ver mais comentários
pub
pub
pub