Pedro Fontes Falcão
Pedro Fontes Falcão 17 de julho de 2018 às 20:12

O senhor "copy and paste"

Trump continua agressivo e a parecer imprevisível. Mas pouco muda de estilo nas suas diferentes negociações, embora por vezes tente usar do elogio e persuasão "gentil".

A questão de ser imprevisível (e segundo alguns, também louco) tem permitido a Trump de algum modo surpreender os seus adversários negociais.

 

Trump tem experiência negocial essencialmente do ramo imobiliário. O pai dele já era muito rico e era um empresário na área do imobiliário, com um claro enfoque na zona de Nova Iorque, onde Donald também teve sucesso. Ou seja, Trump não é um "self-made man", beneficiou muito de projetos que eram do pai, do que aprendeu com este e dos contactos que este tinha. Não é claro até que ponto ele cresceu muito a fortuna que herdou do pai. Mas na realidade, ganhou muita experiência como negociador em projetos empresariais, destacando-se o imobiliário.

 

Contudo, negociar na política e como presidente da maior potência mundial é muito diferente. O número de entidades com quem lidar é muito superior, tem de se negociar com muitos países e com pessoas de outras culturas, entre outros.

 

Trump parece usar frequentemente o estilo que usava nos negócios imobiliários. A agressividade de quem tinha poder e a possibilidade de ser muito duro e exigente pois, geralmente, se não comprasse um imóvel ao Senhor A poderia comprar a outros vendedores, o que lhe permitia também agir aparentemente de forma imprevisível pois podia repentinamente mudar de ideias perante um comprador com que estava a negociar ao encontrar um novo imóvel para comprar.

 

Trump continua agressivo e a parecer imprevisível. Mas pouco muda de estilo nas suas diferentes negociações, embora por vezes tente usar do elogio e persuasão "gentil".

 

Ou seja, já nos começámos a habituar à metodologia negocial de Trump, em que afinal alguma da sua suposta imprevisibilidade começa a ser previsível. E vários com quem ele negoceia começam a dissimular a aceitação das exigências de Trump, quando este é agressivo, deixando-o com a ideia de que ganhou, deixando-o ficar "inchado", mas depois na realidade alguns acabam por não implementar o acordado com Trump. Ou seja, frequentemente Trump ganha no acordo, tenta divulgar ao máximo essa aparente vitória, mas em várias ocasiões, perde posteriormente na sua implementação.

 

Parece que já vários perceberam a sua lógica negocial aparentemente ilógica. Vamos ver se Trump muda ou não…

 

Gestor e Docente Universitário

 

Artigo em conformidade com o novo Acordo Ortográfico

pub