José M. Brandão de Brito
José M. Brandão de Brito 10 de Novembro de 2016 às 00:01

A diferença que a diferença faz

Muitos receiam que a América mude (para pior) porque Trump ganhou, não percebendo que Trump só ganhou porque a América mudou. É assim em democracia.

A FRASE...

 

"Eu não sou um político, com orgulho, devo dizer."

 

Donald Trump, 7 de novembro de 2016 

 

A ANÁLISE...

 

Não conheço ninguém que me tenha confessado desejar ter Donald Trump como próximo Presidente dos Estados Unidos. Presumo que seja por Trump ser politicamente incorreto quando fala de imigração ou de religião. Ou talvez por ser visto por muitos como um homem de erudição a menos e bazófia a mais. Ou, ainda, por ter acusado todas as estruturas do poder estabelecido, incluindo a imprensa, de corrupção e favorecimento das elites. Poderá também ser por ter culpado a Reserva Federal de criar uma monumental bolha nos mercados financeiros, que beneficia os muito ricos em detrimento dos pobres e dos remediados. Ou, quiçá, por prometer rasgar os tratados de comércio internacional que anteriores administrações dos EUA laboriosamente negociaram com a Ásia, a Europa e a metade setentrional do continente americano. Ou mesmo por defender que os EUA se metem em demasiadas guerras que pouco lhes dizem respeito.

 

Outra razão pela qual a elite bem-pensante europeia e norte-americana não tolera Trump reside na completa desconsideração política a que os media votaram o candidato republicano. Como disse a Hillary, votar em Donald é ser deplorável. Paul Ryan, a mais destacada figura republicana no Congresso, parece concordar, já que retirou o apoio ao candidato do seu partido a um mês da data das eleições. Acontece que Trump tem um projeto político verdadeiramente diferente, que apazigua os receios e desperta a esperança de dezenas de milhões de americanos. E nem todos serão deploráveis…

 

Muitos receiam que a América mude (para pior) porque Trump ganhou, não percebendo que Trump só ganhou porque a América mudou. É assim em democracia.

 

Este artigo está em conformidade com o novo Acordo Ortográfico

 

Este artigo de opinião integra A Mão Visível - Observações sobre as consequências directas e indirectas das políticas para todos os sectores da sociedade e dos efeitos a médio e longo prazo por oposição às realizadas sobre os efeitos imediatos e dirigidas apenas para certos grupos da sociedade.

maovisivel@gmail.com

A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado surpreso Há 3 semanas

A estupidez desta comunicação e desta democracia do espectáculo.As eleições são um acerto de contas-uma chegada e não um começo,uma partida

comentários mais recentes
Ó valha-nos Santa Ingrácia Há 3 semanas

Autocarro elétrico vai ligar Alcobaça e Nazaré ao longo das margens do rio Alcoa. . . ha ha ha, o que é que estes autarcas andam a fumar ?

O Trump ganhou porque a crooked Hillary .. Há 3 semanas

.. e' mil vezes mais vigarista que o Sócrates !!

VC Há 3 semanas

A vitória de um líder ocidental que defende o retrocesso da globalização só peca por tardia. Qualquer um observa que a globalização apenas está a servir alguns países do oriente, sobretudo a China. Vamos ver se não foi tarde demais...

surpreso Há 3 semanas

A estupidez desta comunicação e desta democracia do espectáculo.As eleições são um acerto de contas-uma chegada e não um começo,uma partida