Fernando  Sobral
Fernando Sobral 16 de novembro de 2017 às 09:57

A cruzada judicial de Trump e as dúvidas suecas

Ainda não é tempo de se fazer o legado do reinado de Donald Trump nos EUA.

No New York Times, Thomas L. Friedman escreve: "Trump não faz a mínima ideia do que está a fazer e não tem uma estratégia integrada, porque, ao contrário de Xi Jinping, não pensa as grandes questões que qualquer líder verdadeiro reflecte desde que acorda: 'Em que mundo estou a viver? Quais são as grandes tendências deste mundo? E como vou alinhar o meu país para que a maioria dos meus cidadãos consigam o melhor destas tendências e amorteçam o pior?'." Para Friedman vivemos "três mudanças climáticas": no ambiente e na degradação dos ecossistemas, na globalização (de um mundo interconectado para um interdependente), e na tecnologia e no trabalho. A China percebeu isso. Os EUA de Trump não. Conclusão de Friedman: "Enquanto as estradas e os caminhos-de-ferro da China parecem os dos Jetsons, os nossos (dos EUA) parecem-se com os dos Flinstones." No Independent, David Usborne alerta para a nomeação de juízes conservadores que, nos próximos anos, definirão as leis nos EUA: "Donald Trump fez uma coisa bem: não estamos a dar atenção à avalancha de nomeações que está a fazer para os tribunais federais dos EUA. Está a decorrer uma alteração judiciária que, adivinho, será o seu maior legado duradouro. Em tempos mais calmos, costumava ouvir as pessoas rejeitar as eleições presidenciais como um desperdício de tempo. Republicanos e democratas são todos iguais. Mas depois veio Donald Trump."

Na Suécia vai-se pensando em eleições. O primeiro-ministro social-democrata Stefan Löfven, no Politico, fala sobre a Europa e sobre as consequências de, num mercado europeu, as empresas decidirem deslocalizar: "As pessoas começam a pensar que 'estou a pagar o custo de estar na UE. Estou a pagar agora, perdendo o emprego, por estar na UE'." E isso abre o caminho ao populismo, com que ele próprio está a ter de se debater na Suécia. Um assunto sério.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

Os EUA só terá possibilidades de se manter no topo da tecnologia e influencia forte a nível mundial se houver Trump-1-2-2-4.Afinal permite que o País e seus estados cresçam a varias velocidades sem garrotes nem ditaduras comportamentais vindas do exterior.Politica lucida realista n marxista.

Saber mais e Alertas
pub