Fernando  Sobral
Fernando Sobral 12 de julho de 2017 às 09:40

A inevitável queda de Michel Temer no Brasil

É cada vez mais ténue a esperança de Michel Temer se manter como Presidente da República do Brasil. A pressão popular é forte e as coisas não correm bem na Câmara dos Deputados.

Na segunda-feira, o relator do processo no Legislativo, Sergio Zveiter (PMDB), entendeu que os deputados deveriam votar a favor para que o Supremo Tribunal Federal transforme Temer em réu, o que pode afastá-lo do poder, no mínimo, por seis meses. Zveiter entendeu que a denúncia apresentada por Rodrigo Janot, o procurador-geral da República, possui "sólidos indícios de práticas delituosas". Na Folha de S. Paulo, Bernardo de Mello Franco é taxativo: "[Temer está] provando do seu próprio veneno." Na mesma Folha, Hélio Schwartsman comenta: "Um problema de cada vez. É claro que Rodrigo Maia só é o presidente dos sonhos dele e talvez de alguns parentes." O nome deste presidente da Câmara e que está a tentar suceder a Temer também aparece no Lava Jato.

No Estado de S. Paulo, José Roberto de Toledo opina: "Temer voltou tão isolado para Brasília quanto esteve durante a reunião do G20 em Hamburgo. Nas 30 horas que passou na Alemanha, não participou de nenhum encontro bilateral com os outros 35 líderes mundiais que posaram para a foto oficial da cúpula. No Brasil, sofre isolamento diferente. (…) Até o PSDB parece, enfim, decidido a desembarcar de Temer. (…) Sim, a transição que se prenuncia é digna de 'Il Gattopardo'. Se algo precisa mudar para que tudo permaneça como está, que seja logo o chefe. Sai o presidente, fica o governo. Boa parte dos ministros é candidata a ficar na cadeira. Henrique Meirelles, Mendonça Filho e Fernando Coelho, entre eles. A Brasília de Rodrigo Maia é a tropicalização da Sicília de Lampedusa." E quem se junta à campanha contra Temer é Caetano Veloso. O cantor lançou oficialmente uma campanha para isso e diz ao Globo: "O Brasil não pode ficar anestesiado." Não parece estar.


A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 12.07.2017

Mais depressa Temer vai preso que Lula ou Dilma... vá lá saber-se porquê... talvez porque uns são bodes espiatórios e outros são activos beneficiários... e o tecnocrata milionário de S. Paulo não espera para tomar conta da maior economia da América Latina... muda tudo para que tudo fique na mesma...

Nuno 12.07.2017

RUA!

pub
pub
pub