António Moita
António Moita 22 de outubro de 2017 às 19:55

A oportunidade perdida

Com a carta de demissão de Constança Urbano de Sousa ficámos a perceber que a substituição de um ministro é um momento traumático para António Costa.

Assumir que errou ou que é chegada a altura de mudar é algo que choca frontalmente com uma lógica comunicacional de evolução, de progresso constante ou de sucesso.

 

Mas como a realidade não foi suficiente, o empurrão demolidor de Marcelo provocou o resultado que todo o país esperava. A ministra que na prática havia cessado funções logo após a tragédia de Pedrógão deu finalmente lugar a outro.

 

António Costa, político hábil, demonstrou fraqueza quando menos se esperava. Depois de uma convincente vitória eleitoral nas autárquicas, tinha tudo para prosseguir o seu caminho rumo à maioria absoluta nas próximas eleições legislativas.

 

Para tanto, e depois de destruir o seu inimigo principal Passos Coelho, bastaria aprovar com facilidade mais um orçamento de "crescimento e de reposição de direitos" e proceder a uma remodelação ministerial que lhe permitisse dar mais fôlego a pastas que ou não correram bem ou primaram por excessiva descrição por parte dos seus titulares. Não seria novidade citar, entre outros, casos evidentes como o da Administração Interna, a Defesa, a Educação ou ainda que por razões diferentes, a Economia.

 

No calendário frio de Costa tudo se baralhou. O orgulho falou mais alto e não quis misturar a saída forçada da ministra da Administração Interna com outras saídas já programadas. Mas fez mal.

 

De agora em diante, irão abrir-se várias frentes de batalha contrastantes com a acalmia política dos últimos dois anos. Além de um "novo Marcelo" mais atento e mais exigente, teremos comunistas e bloquistas à procura da autonomia perdida e um PSD ressuscitado de onde sairá um novo líder combativo, seja ele quem for, que iniciará um percurso de marcação cerrada a um PS cada vez mais amarrado à esquerda. A ver vamos se a reconhecida habilidade política de António Costa será suficiente a partir de agora.

 

Jurista

 

Artigo em conformidade com o novo Acordo Ortográfico 

A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar