Joaquim Aguiar
Joaquim Aguiar 28 de agosto de 2017 às 20:10

A tragédia do poder

A política é uma ciência social trágica, porque promete o que não sabe como oferecer, começando por iludir os eleitores para obter a legitimação do poder.

A FRASE...

 

"O Estado português é gordo, mas é fraco. É pesado, mas não é firme. É um Estado fraco que torna vulnerável o seu povo."

 

António Barreto, Diário de Notícias, 20 de Agosto de 2017

 

A ANÁLISE...

 

A economia é uma ciência social triste, porque trata da afectação de recursos escassos a finalidades alternativas, o que implica a eterna frustração que é a condenação dos que foram expulsos do paraíso. Porque os recursos são escassos, o que se afectar a uma finalidade já não poderá ser aplicado ou desviado para outra. E todas as tentativas para escapar a esta triste inevitabilidade - imprimir moeda, a inflação, a dívida, a imparidade nos balanços, a restruturação e o incumprimento - são truques de falso alquimista, que promete converter o chumbo em ouro e acaba a arder numa fogueira.

 

A política é uma ciência social trágica, porque promete o que não sabe como oferecer, começando por iludir os eleitores para obter a legitimação do poder, alimentando depois a conflitualidade entre grupos sociais para encontrar uma justificação para o que é a ilusão do poder. Se os eleitores são iludidos pelos que se apresentam como sabendo como realizar os seus desejos até terem de verificar que foram instrumentalizados, os detentores do poder são iludidos pelos atributos do poder até terem de verificar que são impotentes para concretizar as promessas que apresentaram aos seus eleitores.

 

O Estado é o palco em que se projectam estas ilusões - a ilusão de que o poder político pode satisfazer todas as necessidades da sociedade como se os recursos não fossem escassos e isso não implicasse beneficiar uns e prejudicar outros, e a ilusão de que a política, desde que legitimada em eleições, não tem de reconhecer que os recursos são escassos, pelo menos para os que elegeram esse poder.

 

Mas há os que sabem distinguir a ilusão da realidade e capturam o Estado para, invocando o interesse geral, satisfazerem os seus interesses particulares, protegidos pela legitimidade que os iludidos lhes atribuíram. São os que capturam o Estado que mantêm a tragédia em cena, fragilizando a economia e a sociedade, e beneficiando com isso. 

Este artigo de opinião integra A Mão Visível - Observações sobre as consequências directas e indirectas das políticas para todos os sectores da sociedade e dos efeitos a médio e longo prazo por oposição às realizadas sobre os efeitos imediatos e dirigidas apenas para certos grupos da sociedade.

maovisivel@gmail.com

A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Sim, Senhor Há 3 semanas

Estou totalmente de acordo com a sua opinião...
E o pior cego é o que não quer ver.

Ciifrão Há 3 semanas

Prometer o que não se tem não é política é aldrabice.

Anónimo Há 3 semanas

O troglodita tuga, nestes últimos 40 anos, sem saber ler e escrever, teve acesso a um curso superior. Agarrado o certificado de habilitações (canudo), lançou-se cá no "sítio", como de mais um intelectual se tratasse. Claro que na maior parte dos casos, ignora para que serve o conhecimento adquirido. Os portugueses responsáveis, não abdicando dos princípios, têm que os suportar. Só no Parlamento estão 230, onde metade, estorvariam menos. Todavia, este é um pequeno exemplo porque num ápice, ficamos encharcados destes "génios" dando palpites sobre tudo, embarcando-nos no logro que é como dizem que se chega à riqueza. Não se pretende fazer apologia da ignorância mas, pobre do País onde se ensina sem se saber o que se faz com o que se aprende!!!

Mr.Tuga Há 3 semanas

Só acontece porque o troglodita tuga é uma besta imbecil, atrasada, bronca, mal formada e ignóbil!

Este sitio de TRAMPA atrasado e mal frequentado MERECE-SE!

ver mais comentários