Patrícia  Abreu
Patrícia Abreu 06 de fevereiro de 2018 às 20:01

Acabou a complacência nos mercados?  

Os bancos centrais assumiram um papel de destaque no comportamento dos mercados financeiros, nos últimos anos. Mas são cada vez mais os responsáveis a alertar que o "remédio" dos estímulos já não é necessário e que foi mantido por demasiado tempo.

E se, por um lado, a complacência excessiva das autoridades monetárias suportou a recuperação das bolsas mundiais, por outro, a possibilidade de retirada destas medidas está a assustar os investidores. O que poderá estar a acelerar a venda generalizada nos mercados. Para Karsten Junius, economista-chefe do Bank J. Safra Sarasin, o último ano foi "extremamente estranho" e o desempenho do mercado foi "artificial". Em declarações à CNBC, o especialista explicou que "foi artificial porque tínhamos bancos centrais a tentar fazer microengenharia nos mercados". Karsten Junius diz que os bancos centrais estavam a manipular as expectativas dos investidores e "isto estava a retirar toda a volatilidade, toda a incerteza dos mercados". Mas a expectativa de que a inflação cresça mais rápido do que o esperado veio estragar a festa. E os investidores começam a acordar do sonho. Será o início de um pesadelo, ou só um susto?

 

Jornalista

pub