Rui Barroso
Rui Barroso 06 de junho de 2017 às 20:40

Afinal a baixa volatilidade não é nenhum mistério

As explicações variam, desde a hipótese de os investidores estarem anestesiados com a liquidez dos bancos centrais até ao investimento cada vez maior em produtos de gestão passiva.

É um dos assuntos que têm sido alvo de um maior debate entre os analistas de mercado. Se o mundo enfrenta vários focos de incerteza geopolítica e existe incerteza sobre o processo de retirada dos estímulos sem precedentes dos bancos centrais, como é que as bolsas podem estar tão calmas? As explicações variam, desde a hipótese de os investidores estarem anestesiados com a liquidez dos bancos centrais até ao investimento cada vez maior em produtos de gestão passiva. Mas para o JPMorgan, a baixa volatilidade explica-se por algo bem mais simples. Numa nota citada pela Bloomberg, os analistas do banco dizem que a volatilidade nos mercados é baixa apenas porque não têm existido surpresas do lado dos indicadores económicos. "Um nível muito baixo de surpresas económicas é, por si só, suficiente para explicar a baixa volatilidade do mercado", referem. E observam que ao longo dos últimos anos sempre que as surpresas económicas foram limitadas, a volatilidade no mercado também foi baixa. Sugerem ainda que isso é uma prova de que não existe complacência por parte dos investidores, contrariamente a outros analistas, como os da Pimco, que temem que a baixa volatilidade seja um factor que deve suscitar cautela.

 

Jornalista

 

A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub