Patrícia  Abreu
Patrícia Abreu 24 de janeiro de 2018 às 20:43

Ainda tem o seu dinheiro debaixo do colchão?

Depois de um ano de máximos nas bolsas e ganhos na maioria dos investimentos de risco, ainda faz sentido deixar o dinheiro debaixo do colchão?

A descida das taxas de juro das obrigações para valores negativos e o ambiente de desconfiança nos mercados accionistas levaram muitos investidores, nos últimos anos, a retirarem o seu dinheiro dos activos de risco e a deixarem-no parado em depósitos ou outros activos altamente líquidos, sem rentabilidade. Mas, depois de um ano de máximos nas bolsas e ganhos na maioria dos investimentos de risco, ainda faz sentido deixar o dinheiro debaixo do colchão? Ray Dalio acha que não. Para o fundador do Bridgewater Associate, quem tiver as suas poupanças em liquidez "vai sentir-se muito estúpido". O gestor, citado pelo MarketWatch, antecipa uma nova escalada das acções e argumenta que os investidores fora do mercado vão perder uma oportunidade de ouro. No mercado nacional, muitos investidores já falharam, em 2017, a forte valorização dos fundos de acções nacionais. Estes produtos renderam mais de 22%, mas registaram mais um ano de resgates, com os portugueses a preferirem os produtos do Estado e os depósitos. Mas, se nos últimos anos não havia perda de rendimento, devido a não haver inflação, com os preços a subir, quem quiser manter o dinheiro em activos que rendem menos do que a inflação vai perder poder de compra.

 

Jornalista
A sua opinião16
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Sentir-se muito estúpido Há 3 semanas

É possível que sim.
Mas, sem ousar recomendar seja o que for,
nunca esqueço o que li
num livro contendo uma colectânea dos melhores artigos até hoje publicados sobre os mercados de capitais.
Num desses artigos era perguntado a um velho corretor da bolsa americana,
se algum vez tinha encontrado algum investidor
que nos altos e baixos da Bolsa tinha lucrado significativamente.
Depois de pensar, o velho respondeu pela afirmativa:
Um campónio lá do sítio era o seu melhor caso de sucesso.
Qual o seu segredo?
Vinha uma vez por ano à cidade vender o resultado da sua labuta
(ou criação de porcos ou cultivo de milho, não me recordo bem).
Quando reinava o otimismo e todos consideravam estúpido não estar a comprar,
o prudente campónio vendia;
Quando era tempo de "vacas magras" e a palavra de ordem era vender,
o tosco campónio, comprava.
Terá sido o suficiente para fazer fortuna.

comentários mais recentes
alberto9 Há 3 semanas

E porque a bolsa, as criptomoedas subiram muito, o imobiliário, só para dar alguns exemplos.
Não é porque um bem sobe muito durante um periodo que no seguinte vai continuar a subir. Mas concerteza a senhora faz parte daqueles que querem ganhar dinheiro com à custa dos ignorantes e que por caua deste artigo vão logo comprar acções

Faz todo o sentido Há 3 semanas

Casino é para perder o dinheiro.

Anónimo Há 3 semanas

Na realidade qem apostou em depósitos prazo em anos idos nunca tiveram lucro pois a inflação era superior aos JRS.Hoje n vale apena apostar em nada a n ser competente e ter um bom emprego ou empresa.Apostar bolsa ou produtos poupança,ou ter contas bancárias é perder Dinheiro .Colchao é unicasolução

NÃO DESEMCAMINHE AS PESSOAS, MINHA CARA ! Há 3 semanas

O q tem esta gaja contra a saudável opção da poupança, num tempo, em q, hoje, as regras são umas para, no dia seguinte, serem opostas ?
Não há povo tão praticante da poupança como o alemão.
O RESULTADO ESTÁ À VISTA.
Ou prefere q se mude de carro de 4 em 4 anos e q a DÍVIDA PRIVADA dispare ?

ver mais comentários