Fernando  Sobral
Fernando Sobral 09 de outubro de 2017 às 09:39

As empresas estão a fugir da Catalunha?

A crise anunciada no sector financeiro (possíveis saídas dos bancos CaixaBank e Sabadell de Barcelona) pela iminente declaração unilateral de independência da Catalunha poderá atingir outros gigantes industriais.

Não sendo tão fulcral como na banca (onde a falta de confiança pode motivar saída de depósitos), a situação indefinida pode levar a decisões ousadas. Fala-se já da possibilidade de empresas como a Gas Fenosa e Abertis estarem a ponderar o seu futuro. No Publico.es, Vicente Clavero escreve: "CaixaBank e Banc Sabadell nasceram na Catalunha e têm profundas raízes nesse território. Ali sempre estiveram as suas sedes, tanto a social como a operativa. Têm catalães à frente: Jordi Gual no caso do CaixaBank e Josep Oliu no do Sabadell. Mas há algum tempo que ambas as entidades deixaram de ser locais e figuram entre as maiores do sistema financeiro espanhol. Como transferir a sede para Madrid seria demasiado ignóbil, o Sabadell decidiu levá-la para Alicante. (…)"

No El Mundo, Carlos Segovia conta uma história interessante: um dos simples do catalanismo, Miquel Roca Junyent, é o encarregado da arquitectura jurídica para retirar o Sabadell da Catalunha. Escreve: "O eco do que Roca transmite na saída de uma perigosa Catalunha que aspira a ser independente é um símbolo. Roca foi secretário-geral adjunto da Convergència com Jordi Pujol e porta-voz parlamentar da CiU nas Cortes entre 1977 e 1995." Deixou a política e tornou-se advogado. Mais: "O veterano advogado catalão criticou a secessão e afirmou em conferências que uma Catalunha independente não resolveria os problemas económicos. Não só não os resolve, como ele próprio organiza a primeira grande fuga antes que se precipite ainda mais rumo ao abismo." Já no La Vanguardia, Daniel Innerarity argumenta: "Porquê contentarmo-nos com uma vitória quando poderíamos conseguir algo melhor: um pacto? Quem renuncie de imediato a tentá-lo estará a dar razão a quem no outro lado defende a mesma imposição."


A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Rui Vasques Há 1 semana

É sem grande interesse onde está a sede Neste caso de pura demagogia política esqueceram-se do dinheiro nota.
Correm o risco de fazer uma independência sem dinheiro físico, tipo Coreia do Norte.
Porque os Euros já não estão na Catalunha. Ninguém com pouco de bom senso ia deixar as suas economias

pub
pub
pub