Tiago Freire
Tiago Freire 08 de agosto de 2017 às 10:00

As "fake news", da Venezuela à nova TV Trump

Numa Venezuela em tensão máxima, a luta faz-se, também, nas colunas dos jornais. Quando os leitores procuram cada vez mais conteúdos que validem o que já pensam, em vez de informação objectiva, o xadrez joga-se na opinião.

Miguel Henrique Neto, responsável pelo jornal El Nacional, não é meigo nas palavras: "A reacção à votação para a Constituinte foi planetária, foi veloz e foi contundente." Entre os aliados ideológicos de Maduro, há algumas vozes que não se ouviram ainda, como as de Lula ou de Dilma Rousseff, porque "estão muito ocupados, pois vivem reunidos com os advogados".

No outro lado da barricada, um artigo no Correo del Orinoco, jornal criado em 2009 como sucedâneo do original, fundado em 1818 por Simon Bolivar. O jornalista e activista argentino José Steinsleger disserta sobre as "fake news", que associa ao que a imprensa internacional tem dito sobre a situação venezuelana. "Estes são os que, com o pretexto de desconstruir tudo, se esquecem do factual, mudando de valores como de camisa porque para eles é igual", afirma. Neste terreno "pós-verdade", defende, "há povos como o da Venezuela bolivariana, que acaba de apertar o parafuso que faltava ao mundo, dando-nos uma grande lição de coragem e dignidade".

Quem também gosta de falar nas "fake news" é o Presidente Trump. Agora, surgiram dois "noticiários" televisivos, "em directo da Torre Trump", que foram divulgados na página pessoal do Presidente. O primeiro teve como apresentadora a nora de Trump, Lara, que começou por dizer "aposto que não ouviram todas as conquistas que o Presidente fez esta semana, por causa de todas as 'fake news' por aí". O segundo capítulo, também todo ele dedicado a dizer bem do Presidente, foi liderado por Kayleigh Mcenany, até há pouco tempo comentadora política na CNN. Ambos os episódios terminaram com um "E estas, sim, foram as verdadeiras notícias". Corre o rumor de que as emissões são um balão de ensaio para uma verdadeira TV Trump, a criar por um antigo responsável da Fox News.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub