Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Camilo Lourenço
Camilo Lourenço 14 de fevereiro de 2018 às 21:30

As reversões não são para todos 

O país ficou ontem a saber que os trabalhadores do porto de Lisboa podem fazer 850 horas extraordinárias (ouviu bem, "extraordinárias") num ano. A benesse foi atribuída pelos Ministérios do Trabalho e do Mar.

A denúncia veio do ainda líder da bancada parlamentar do PSD, que perguntou ao Governo o que o leva a autorizar que "trabalhadores possam trabalhar cinco meses mais do que aquilo que é normal". O primeiro-ministro, apanhado em

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais
A sua opinião17
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 1 semana

Mais uma jogada baixa do socialismo tuga para atrasar até ao limiar do insustentável a automatização já disponível no mercado a baixo custo e com elevada eficiência. Os consumidores, contribuintes, utentes, inovadores, investidores e empreendedores que paguem.

comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

Nos portos da Holanda, essa mesma de Dijsselbloem nascido em Eindhoven que é tão somente um centro mundial de inovação e empreendedorismo bem sucedido assente na grande dinâmica, abertura e flexibilidade do mercado de talento e capital, estão a automatizar todas as áreas e departamentos das instalações portuárias. Os colaboradores excedentários vão ser alvo de rescisão contratual apesar de terem organizado umas greves e contratado uma historiadora portuguesa (De onde haveria de ser?) para criar uns relatórios neoluditas com forte inspiração marxista, para apresentar como argumento reivindicativo à Organização Internacional do Trabalho. https://www.portofrotterdam.com/en/cargo-industry/50-years-of-containers/the-robot-is-coming

Anónimo Há 1 semana

Mais uma jogada baixa do socialismo tuga para atrasar até ao limiar do insustentável a automatização já disponível no mercado a baixo custo e com elevada eficiência. Os consumidores, contribuintes, utentes, inovadores, investidores e empreendedores que paguem.

CAMALEÃO DA PAFAS SURPRESO Há 1 semana

OH HOMEM, ENTÃO QUERES LIBERALIZAR O MERCADO DE TRABALHO (ATÉ CITAS A HOLANDA- MAL,BABOSO) E CRITICAS( EM PORTUGAL) AS HORAS EXTRAORDINÁRIAS?QUERES O SIM E O SEU CONTRÁRIO.
CAMALEÃO DA PAFAS, NÃO É SEM RAZÃO QUE JÁ ÉS CONHECIDO COMO O BERBEQUIM-AHAHAH

AINDA HÁ POUCO TEMPO Há 1 semana

CAMILO, INDIGNANDO-SE COM O PROTESTO NA AUTO EUROPA DIZIA QUE TRABALHAVA 18 HORAS POR DIA- OH HOMEM, PARECES UM BERBEQUIM; ORA GIRAS PARA A FRENTE, ORA PARA TRAZ.TUDO À TUA CONVENIÊNCIA.
CAMILO, PARECES UM BERBEQUIM!

ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub