Patrícia  Abreu
Patrícia Abreu 04 de julho de 2017 às 19:50

Até Ivanka iria subir juros mais uma vez este ano

Janet Yellen anunciou, na reunião de Junho, uma nova subida da taxa de juro nos EUA para um intervalo entre 1% e 1,25%. Este aumento já era esperado pelos especialistas, que procuram agora pistas sobre futuras mexidas nos juros.

E, para o UBS, a Reserva Federal dos EUA, vai mesmo voltar a subir juros este ano, independentemente de quem esteja à frente do banco central norte-americano. "Se tivermos a pessoa errada a liderar a Fed então há um problema. Por isso, penso que a Fed o que está a fazer é a bloquear-se a si própria numa estratégia de longo prazo e assim mesmo que tenhamos Ivanka Trump como presidente da Fed no próximo ano, eles têm uma estratégia de saída da política de estímulos a longo prazo, que seria muito difícil reverter", argumentou Paul Donovan, economista do UBS à CNBC. O mandato de Janet Yellen à frente da autoridade monetária dos EUA termina em Janeiro do próximo ano, sendo que o presidente do país, Donald Trump, criticou por diversas vezes a actual presidente da Fed na sua campanha eleitoral. Assim, são cada vez mais os especialistas que acreditam que Yellen irá abandonar a liderançada Fed, em 2018. Mas, antes disso, a presidentedo banco central quer garantir que as medidas mais difíceis estão em curso.

 

Jornalista

A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub