Raquel Godinho
Raquel Godinho 08 de outubro de 2017 às 17:32

Até onde podem ir as acções alemãs?

O ano de 2017 tem sido marcado pelos máximos históricos sucessivos atingidos pelas bolsas norte-americanas. Mas, nos últimos meses, outra estrela tem brilhado deste lado do Atlântico.

A praça germânica que, nos últimos seis meses, atingiu recordes por 15 vezes. E o potencial de ganhos pode ainda não estar esgotado. Quem o diz é Olgerd Eichler, gestor do fundo de investimento do MainFirst Bank, e que tem 507 milhões de dólares sob gestão. Este gestor, que segundo a Bloomberg tem superado o desempenho dos concorrentes no acumulado do ano, defende mesmo que os investidores internacionais ainda não têm confiança suficiente nas acções alemãs. Mas deveriam, porque antecipa um ganho de 20% a 30% do índice DAX nos próximos dois anos.

"Para os investidores internacionais, era a forma mais fácil de entrar na Europa. Vão encontrar nomes familiares, um sistema económico e político muito estável e muitas empresas que ainda estão baratas", defendeu Olgerd Eichler, citado pela Bloomberg. E este mercado tem contado também com o optimismo de bancos de investimento como o Credit Suisse e o Société Générale. Também graças aos dados favoráveis da economia germânica. Até onde vai chegar o optimismo? E os ganhos?

 

Jornalista

A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar